Províncias

Em carteira nova divisão administrativa

ENGRÁCIA CAMILO | Sumbe

O governo do Kwanza-Sul está a desenvolver  um programa para a revisão da divisão administrativa entre as localidades do município do Sumbe e as comunas da Canjala e Chila, pertencentes ao município do Lobito, província de Benguela.

Programas municipais integrados de desenvolvimento rural foram analisados no encontro
Fotografia: Fernando Camilo | Sumbe

A notícia foi dada sexta-feira pelos membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social do município do Sumbe num encontro em que a situação administrativa  das Cachoeiras,  no município da Conda, e da comuna  da Ngangula, no Sumbe, foi também discutida.
Os membros do Conselho falaram também da necessidade de legalização dos jovens que se dedicam à actividade de mototáxi e da elaboração de uma monografia da cidade do Sumbe. O Conselho do Sumbe fez o balanço do primeiro trimestre do ano e apreciou os programas de combate à pobreza e de cuidados primários de saúde. A construção de casas evolutivas, os programas da merenda escolar e de urbanização, concessão e loteamento de parcelas de terras na Reserva Fundiária da Pomba Nova foram outras questões abordadas.
Entre as acções desenvolvidas, o Conselho de Auscultação abordou ainda o programa de macrodrenagem das águas pluviais da nova conduta de água e apelou para a melhoria do saneamento básico e do abastecimento de água.
O Conselho de Auscultação recomendou que nos programas municipais integrados de desenvolvimento rural e combate à pobreza sejam contempladas acções experimentais de merenda escolar e pediram a melhoria dos critérios de apuramento dos concursos públicos e requalificação da cidade do Sumbe. A aquisição de viaturas de apoio aos médicos que exercem a profissão nas zonas recônditas do município, a melhoria dos trabalhos de loteamento das reservas fundiárias na localidade da Pomba Nova para o processo de construção de habitação sociais e a necessidade de execução da toponímia da cidade do Sumbe foram outras recomendações.
O Conselho recomendou à Administração do Sumbe a instalação do terminal de transportes na área do bairro do Chingo, a implantação na sede capital da província de uma sub-unidade da Polícia de Intervenção Rápida (PIR) e analisou o alcance do projecto de reintegração dos ex-militares denominado “Sumbe II”, elaborado pelo Instituto de Reinserção Social dos ex-Militares (IRSEM).
O administrador municipal do Sumbe, Alves Sardinha, sublinhou que o desenvolvimento económico deve ser acompanhado de indicadores que representam a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e sublinhou que a melhoria das condições de saúde, nutrição, higiene e habitação são das variáveis sociais que as autoridades levam em melhor consideração.

Tempo

Multimédia