Províncias

Emigrantes voltaram para visitar a sua terra natal

Casimiro José | Gabela

Uma caravana de 38 cidadãos naturais e amigos do Amboim, radicados em Portugal, visitou o município, nos dias 12 e 13, numa romagem de saudade e auscultação da realidade sócio-económica da circunscrição.

O reencontro de várias famílias separadas há muitas décadas provocou lágrimas e terminou num animado jantar de confraternização
Fotografia: Casimiro José | Gabela

A caravana foi recebida pelo administrador municipal do Amboim, Francisco Manuel Mateus,  membros da Administração e autoridades tradicionais.
O reencontro com familiares foi marcado por momentos de grande emoção, de parentes separados há quatro décadas.
Depois das visitas efectuadas aos empreendimentos sociais e económicos, que permitiram diagnosticar a realidade do município do Amboim, alguns visitantes disseram à nossa reportagem que já têm ideias sobre onde e como intervir.
Josefina Marques, que chefia a caravana, nasceu na cidade da Gabela e é professora reformada. Manifestou o desejo de se juntar aos esforços da Administração Municipal para o desenvolvimento do Amboim. “Eu vim à terra em que nasci, 40 anos depois, e tenho força anímica para juntar-me na batalha de reconstrução do município”, garantiu.
O empresário Américo Cordeiro nasceu em Portugal, mas viveu muitos anos em Angola e manifestou o desejo de se estabelecer no Amboim. “Sou empresário do ramo de máquinas, ferramentas e prestação de serviços e vim ao Amboim identificar as oportunidades de investimento nesta terra maravilhosa. Tenho fé que desta visita possam ser estabelecidas parcerias com empresários locais”, frisou, acrescentando que as relações entre os povos de Angola e de Portugal são históricas e consanguíneas.
Maria Virgínia Ribeiro nasceu na Boa Entrada, ex-CADA, e deixou Angola na véspera da independência. Na altura tinha 21 anos. Volta a ver a terra que a viu nascer quando já está na casa dos 60 anos. Ao constatar a realidade da localidade em que nasceu, envolveu-se em lágrimas. “A guerra foi o factor desestabilizador deste lindo país, mas estou certa que com a paz e a força de vontade das autoridades e da população, a CADA pode voltar a resgatar os seus momentos áureos”, disse.
O auge da visita foi no Ginásio da Administração do Amboim, num jantar de confraternização oferecido pelas autoridades administrativas, ao som da banda musical “Sagrada Esperança”, da Boa Entrada, num ambiente festivo e de dança.
O administrador municipal disse que a visita constituiu uma oportunidade de troca de opiniões sobre o desenvolvimento da região. “Durante a visita dos naturais e amigos do Amboim trocámos impressões sobre o rumo que deve ser tomado para que o município possa desenvolver-se, mas também notámos o sentimento de pertença e força anímica para, cada um, contribuir para alavancar o desenvolvimento do nosso município”, disse. A Administração realiza programas de desenvolvimento, mas a conjugação de esforços com o sector privado e entidades singulares pode acelerar a resolução dos problemas que afligem as populações, adiantou.Os naturais e amigos do município do Amboim visitaram as Cachoeiras do Binga, Fazenda Boa Entrada, Paróquia Santa Isabel, Hospital Municipal do Amboim, Estação Regional do Café do Amboim, Estação de Tratamento de Água do Cruzeiro, as escolas do II Ciclo do ensino secundário Dr. António Agostinho Neto, Mutu ya Kevela, José Marti e Igreja Assembleia de Deus Pentecostal, entre outros empreendimentos.

Tempo

Multimédia