Províncias

Empresários da região do Kwanza-Sul são informados sobre Angola Investe

Manuel Tomás | Sumbe

Empresários e empreendedores do Kwanza-Sul foram sábado informados, no Sumbe, dos objectivos que nortearam a criação do programa Angola Investe, uma iniciativa do Executivo para apoiar e fortalecer as micro, pequenas e médias empresas nacionais.

Participantes no encontro de esclarecimento sobre os propósitos do programa Angola Investe lançado pelo Executivo
Fotografia: Fernando Camilo| Sumbe

Empresários e empreendedores do Kwanza-Sul foram sábado informados, no Sumbe, dos objectivos que nortearam a criação do programa Angola Investe, uma iniciativa do Executivo para apoiar e fortalecer as micro, pequenas e médias empresas nacionais.
O responsável da empresa Goiabacontas, Luís Alberto Cristóvão, promotor do seminário, esclareceu que o programa visa igualmente a criação de condições para o combate à pobreza, bem como fomentar o emprego e auto-emprego.
Luís Alberto Cristóvão disse que, com este programa, o Executivo põe à disposição dos empresários um instrumento para desenvolver um programa de capacitação das empresas, promover a produção nacional e diversificar a economia.
Luís Alberto disse que para a aplicação do programa, o Executivo tem disponível uma linha de crédito avaliada em três mil milhões de dólares até 2015, com garantias públicas de até 70 por cento do crédito concedido.

Sectores a apoiar

De acordo com o empresário, o programa Angola Investe dá prioridade aos sectores agrícola, pecuário, pescas, materiais de construção, indústria transformadora, geologia e minas e serviços de apoio ao sector produtivo.
Segundo o prelector, para aceder ao crédito Angola Investe, as empresas necessitam de estar bem organizadas com a respectiva contabilidade e registadas e certificadas pelo Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM).
O responsável da empresa Goiabacontas deu a conhecer que todos os bancos comerciais nacionais têm disponíveis verbas para apoiar os empresários interessados em aderir ao programa, que tem um fundo global de garantias públicas até mil milhões de dólares.
O limite de financiamento para uma micro empresa vai até 200 mil dólares, para as pequenas 1,5 milhões, ao passo que para as médias empresas está estipulado o montante de cinco milhões de dólares”, esclareceu.

Benefícios fiscais

O responsável informou que os empresários com acesso ao financiamento bonificado vão beneficiar da redução de taxas previstas no código de impostos industriais, isenção do imposto de consumo sobre as matérias- primas, do imposto de selo para as micro-empresas, entre outros benefícios. Luís Alberto Cristóvão, depois de responder a algumas questões que lhe foram colocadas, apelou aos empresários a aproveitarem todas as iniciativas do Executivo, “não deixando o comboio passar para futuramente não terem problemas quanto ao funcionamento das respectivas empresas”.
Luís Alberto agradeceu a presença dos empresários locais e anunciou que actividades do género vão abranger todos os municípios da província, para esclarecer a classe empresarial do propósito do lançamento pelo Executivo do programa Angola Investe.

Tempo

Multimédia