Províncias

Empresas de obras em Tribunal

Carlos Bastos | Sumbe

As empresas de construção civil que não honraram os seus compromissos na conclusão das obras de impacto social vão ser levadas a Tribunal, decidiu o conselho de auscultação e concertação social do município do Sumbe, que esteve reunido na última terça-feira, na segunda sessão ordinária. 

As empresas de construção civil que não honraram os seus compromissos na conclusão das obras de impacto social vão ser levadas a Tribunal, decidiu o conselho de auscultação e concertação social do município do Sumbe, que esteve reunido na última terça-feira, na segunda sessão ordinária. 
 A reunião decorreu na Escola de Formação de Professores sob orientação do administrador local, Sebastião Daniel Neto. Foi abordada a situação socio-económica e o programa de gestão do município e de actividades a realizar no biénio 2010/11.
 Relativamente à alteração da data do aniversário da cidade do Sumbe, que anteriormente se assinalava no dia sete de Janeiro, os membros do conselho foram unânimes em afirmar que a partir de agora o 28 de Maio passa a ser o dia da cidade, tendo em consideração a data em que a vila de Novo Redondo foi elevada à categoria de cidade, por decreto de 1956.  Os participantes aconselharam a responsabilização judicial das pessoas ou indivíduos que sem conhecimento das autoridades procedam à venda ilegal de terrenos localizados nos bairros periféricos da cidade e concluíram que fosse aberto um concurso público para a reabilitação do jardim localizado na rua “Ecos de Ngunza”, devido à sua degradação acentuada.
Participaram na reunião responsáveis da Administração Municipal e administradores comunais, representantes das igrejas reconhecidas pelo Governo, organizações não governamentais locais, autoridades tradicionais, agentes económicos e convidados.
Com uma superfície de 3.890 quilómetros quadrados, o município do Sumbe tem 218 mil habitantes e é constituído pelas comunas de Gangula, Kicombo e Gungo.
A economia assenta essencialmente na actividade pesqueira e agropecuária. O Conselho de Auscultação e Concertação Social é um fórum de apoio às administrações municipais na apreciação e tomada de medidas políticas, económicas e socais.

Tempo

Multimédia