Províncias

Enfermeiros e analistas no mercado

Casimiro José | Sumbe

O mercado de trabalho, na província do Cuanza Sul, está mais fortalecido, desde ontem, com a colocação de 486 técnicos médios de Enfermagem e de Análises Clínicas, que receberam os certificados em cerimónia presidida pelo vice-governador para o sector Económico, Joaquim Júnior de Almeida.

Finalistas reconhecem os esforços do Governo ao proporcionar as condições técnicas e humanas para a concretização do sonho de muitos
Fotografia: Fernando Camilo | Edições Novembro

Os 447 técnicos médios de Enfermagem Geral e os 39 de Análises Clínicas, que terminaram a formação, no ano passado, frequentaram também estágios de seis meses.
Durante quatro anos, os técnicos tiveram lições académicas e técnicas, destacando-se aspectos ligados à humanização dos serviços, atitudes integradoras, anatomia, farmácia, gestão de análises clínicas e outras matérias.
O director da Escola de Formação de Técnicos de Saúde do Cuanza Sul, Crisóstomo Firmino, adiantou que inicialmente a formação contou com 649 estudantes, com uma taxa de aprovação de 69 por cento em Enfermagem Geral e 74% em Análises Clínicas, enquanto houve uma reprovação bruta na ordem de 30%.
Crisóstomo Firmino manifestou-se preocupado com o atraso que se verifica na conclusão das obras de construção das 12 salas de aula, o que constrange o programa de inserção de mais alunos e, ao mesmo tempo, impede o aumento de cursos.
Em mensagem, os finalistas reconheceram os esforços do Governo ao proporcionar as condições técnicas e humanas, para a concretização do sonho de muitos que encontraram na Enfermagem a via de contribuir para a reconstrução nacional. “O vazio que trazíamos de nossas casas foi preenchido com os conhecimentos que adquirimos ao longo da nossa formação e vamos contribuir na reconstrução do tecido social do nosso país”, lê-se na mensagem.
Os finalistas pediram ao Governo Provincial para envidar esforços que visem a conclusão das obras das 12 salas de aula, criação de mais cursos superiores de Enfermagem, disponibilidade de laboratórios, bibliotecas técnicas e promoção de programas de contenção de doenças infecto-contagiosas.
O vice-governador da província para o sector Económico, Joaquim de Almeida, considerou que o fim dos cursos de Enfermagem e de Análises Clínicas abre caminho para a satisfação das necessidades sentidas pelas unidades sanitárias. O vice-governador salientou que a crise económica internacional provocou a tomada de medidas de austeridade financeiras, situação que reduziu a oferta de emprego, embora se espera por dias melhores.
“A situação que vivemos não é definitiva e o Governo vai continuar a trabalhar para resolver o problema do primeiro emprego”, |disse Joaquim de Almeida, para quem os sectores da Saúde e da Educação constam da linha de prioridades do Executivo.
O vice-governador pediu aos finalistas mais empenho na identificação de oportunidades de emprego, no sector privado, enquanto se aguarda por concursos públicos de ingresso na função pública.
A Escola de Formação de Técnicos de Saúde do Cuanza Sul, instalada na cidade do Sumbe, pretende afirmar-se como uma instituição de excelência, visando responder aos desafios do presente e do futuro, no quadro do Programa de Desenvolvimento Sanitário do Ministério da Saúde, para o período 2012/2025.
Desde a sua criação, em 1976, até 2011, a escola já lançou para o mercado de trabalho um total de 9.450 técnicos básicos.
Após a sua conversão para instituição média, o estabelecimento colocou outros 1.217 formados em Enfermagem Geral e em Análises Clínicas no mercado de trabalho.

Tempo

Multimédia