Províncias

Escola de professores sem docentes

Manuel Tomás | Sumbe

A escola de formação de professores primários do município de Porto Amboim (Kwanza-Sul), necessita de docentes para ministrar aulas de língua portuguesa, inglesa, psicologia e química.

A escola de formação de professores primários do município de Porto Amboim (Kwanza-Sul), necessita de docentes para ministrar aulas de língua portuguesa, inglesa, psicologia e química.
A directora do referido estabelecimento escolar, Maria Teresa Paulino Raimundo, disse que, devido à exiguidade de salas de aula, no presente ano lectivo apenas se matricularam 108 alunos, distribuídos por três turmas, onde leccionam 22 professores, todos licenciados em várias áreas do saber.
A escola de formação de professores tem seis salas de aula, dois laboratórios de informática e salas complementares, estando prevista a sua ampliação, com a construção de mais salas de aula e outras dependências, para corresponder à procura, disse a directora.
Maria Raimundo acrescentou que, devido à falta de recursos financeiros por parte dos pais e encarregados de educação, muitos alunos, para dar continuidade aos estudos, preferem ficar no município de Porto Amboim.
Para este ano lectivo a escola tem 102 finalistas, maioritariamente estagiários, a colaborar em escolas da circunscrição. Maria Teresa Raimundo diz que 55 por cento “já são considerados efectivos”, auferindo o salário correspondente.
A responsável salientou ainda as excelentes relações que a escola mantém com a comissão de pais e encarregados de educação, que em muito tem contribuído para a solução de inúmeros problemas que a instituição enfrenta.
Enquanto isso, cerca de 400 candidatos do município do Kassongue efectuaram ontem testes de admissão para ocuparem uma das 197 vagas disponíveis na região. 
 Em declarações à Angop, o chefe da repartição municipal da Educação no Kassongue, Alfredo Arcanjo, explicou que os concorrentes fizeram testes de cultura geral e entrevistas.

Tempo

Multimédia