Províncias

Escola do Sumbe diminiu a fuga de quadros locais

Vítor Pedro | Sumbe

A passagem em 2012 a estabelecimento de nível médio da antiga escola técnica de enfermagem do Kwanza-Sul reduziu significativamente a fuga de quadros para outras regiões do país, disse ao Jornal de Angola o director do estabelecimento.

Crisóstomo Firmino afirmou que a alteração foi importante para a província, sobretudo para os profissionais que tencionavam aumentar o nível de conhecimentos e seguir a carreira de saúde.
Cada vez mais, declarou, há jovens do Kwamza-Sul a aderirem ao curso de saúde, quando anteriormente os candidatos eram sobretudo de outras províncias.
“Com esta medida foi estancada a fuga m massa de profissionais para outras províncias para tentarem a formação média e serem auxiliares de enfermagem e técnicos de análises clínicas, de R X e de outras especialidades”, referiu
As aulas na nova escola técnica média de saúde começaram em Maio, com a entrada de mais 211 alunos dos cursos de enfermagem e análises clínicas. Em 2015, revelou, são colocados no mercado de emprego os primeiros técnicos médios de saúde formados na escola.A escola média de saúde do Kwanza-Sul também realiza cursos de promoção para técnicos de enfermagem que trabalham nas diferentes unidades hospitalares da província.
Actualmente tem 646 enfermeiros auxiliares.O director da escola lamentou a falta de mais espaço para poderem ser ministrados outros cursos, como os de estomatologia, farmácia, estatística médica e gestão hospitalar, bem como de transporte para a deslocação dos alunos para as unidades hospitalares durante o estágio e de uma biblioteca.

Tempo

Multimédia