Províncias

Estrada degradada atrasa o progresso

Casimiro José| Mussende

O estado degradado da principal estrada entre Mussende e várias localidades do Kwanza-Sul preocupa as autoridades e a população da região, pois dificulta a circulação de pessoas e mercadorias, afirmou, ontem, ao Jornal de Angola, a administradora municipal. 

Os trabalhos de terraplanagem feitos no início da obra permitiram melhorar o trânsito mas as chuvas causou sérios transtornos
Fotografia: Casimiro José | Mussende

O estado degradado da principal estrada entre Mussende e várias localidades do Kwanza-Sul preocupa as autoridades e a população da região, pois dificulta a circulação de pessoas e mercadorias, afirmou, ontem, ao Jornal de Angola, a administradora municipal. 
Joaquina Gabriel disse que o estado da via é dos grandes obstáculos à execução dos projectos sociais da administração municipal e desencoraja potenciais investidores privados.
A interrupção, em 2009, das obras de reabilitação da principal estrada entre a Quibala e o Mussende esmoreceu o entusiasmo dos habitantes da região que esperavam que a nova via trouxesse dias melhores.
   A administradora lembrou que os trabalhos de terraplanagem feitos no início da obra permitiram melhorar o trânsito, mas que, devido às enxurradas, a alegria durou pouco tempo.
O trajecto, de 128 quilómetros, entre a Quibala e a sede do Mussende, demora mais de cinco horas, o que cria vários problemas na vida social e económica do município, pois o transporte do material para construção e reabilitação de infra-estruturas sociais e económicas é feito por aquela via.  Apesar do estado da estrada, a administração municipal concebeu um plano para a reconstrução do município.
 Ao todo, foram elaborados sete projectos que contemplam, entre outras acções, o levantamento topográfico para a urbanização da vila, construção e reabilitação de infra-estruturas sociais e aquisição de equipamentos diversos.
  Das acções em curso, algumas delas em fase de conclusão, salientam-se a construção de um centro médico e a casa protocolar da administração municipal, que são inaugurados em breve.
Além do centro materno-infantil, em obras de ampliação, estão a se construídos dois postos de saúde, um na aldeia Santo Agostinho, na comuna do São Lucas, e outro no quilómetro 40, um centro médico, na Quienha, e sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável e de energia eléctrica. 
O plano contempla também a construção, em Mussende, do Palácio Municipal e de uma escola, com 12 salas.

Tempo

Multimédia