Províncias

Estudada nova gestão dos resíduos

Carlos Bastos e Casimiro José | Sumbe

Várias acções de melhoramento do saneamento básico vão ser lavadas a cabo, na cidade do Sumbe, no âmbito de um plano de gestão de resíduos sólidos, com vista a garantir um abastecimento de água potável às populações sem contágio de lixo.

Participantes no seminário analisaram na cidade do Sumbe as práticas ambientais quanto ao tratamento do lixo industrial e hospitalar
Fotografia: Fernando Camilo | Sumbe

O plano de gestão de resíduos sólidos, apresentado pelo director nacional de Água e Saneamento, Lucrécio Costa, surgiu pelo facto do abastecimento de água potável aos habitantes da cidade do Sumbe ter conhecido dificuldades, resultantes de factores poluentes do rio Cambongo.
Entre os factores, salientou a ausência de mecanismos adequados ao tratamento de lixo, ineficiente estado do único aterro sanitário, que não obedece aos padrões universais.
Lucrécio Costa salientou que há ainda outras situações que concorrem para a poluição da água, com destaque para a extracção de inertes pelos munícipes e a utilização da água do rio para fins industriais.
Lucrécio Costa informou  que o plano de gestão sustentável de resíduos sólidos do Sumbe, elaborado com o financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), cuja execução aguarda pela alocação de verbas pelo Executivo, pretende inverter o actual quadro, na base da adopção de medidas mais consentâneas.
Estas medidas vão ser antecedidas de acções como a produção, caracterização e projecção das características dos resíduos sólidos, a compilação e ­estimativa orçamental. O plano de execução compreende também acções de planeamento urbanístico, encerramento das lixeiras, composição física em percentagem nas zonas urbanas e suburbanas, construção de um aterro com valências e padrões modernos, tratamento mecânico e biológico, sistema de recolha e de transporte do lixo.
Lucrécio Costa assinalou que o plano de gestão sustentável de resíduos sólidos para a cidade do Sumbe foi elaborado na base de cenários e soluções de estudo prévio,  trabalho de campo e recolha de dados demonstrativos da situação real e ­resoluções para dar respostas dos problemas identificados. A a­presentação do referido plano foi feita durante o seminário, que reuniu especialistas da Direcção Nacional de Águas e Saneamento, membros do Governo Provincial do Cuanza Sul, das direcções locais das Água e do Ambiente, autoridades tradicionais e outros convidados.
O seminário aprofundou igualmente as práticas ambientais quanto ao tratamento do lixo industrial e hospitalar, dos resíduos gerados nas estações de tratamento de água e das águas residuais, tendo em conta a especificidade do rio Cambango e do sistema de esgotos da cidade do Sumbe. O vice-governador do Cuanza Sul para o sector Económico, Franklin Fortunato e Silva, disse que o plano de gestão sustentável de resíduos sólidos para a cidade do Sumbe constitui um instrumento valioso e oportuno que, no futuro, vai melhorar o sistema de abastecimento de água potável ás populações e erradicar doenças.
Franklin Fortunato e Silva sublinhou que o seminário sobre os resíduos sólidos é resultado dos esforços do Executivo de ver melhoradas as condições de higiene e de saúde pública.

Tempo

Multimédia