Províncias

Fortes chuvas anunciam boas colheitas

Manuel Tomás | Sumbe

As intensas chuvas que se abatem sobre os municípios da província do Kwanza-Sul prometem óptimas colheitas no ano agrícola 2012/2013, revelou o director provincial da Agricultura, Pedro Lambuazau.

O verde é a cor dominante dos campos agrícolas do Kwanza-Sul devido à regularidade das chuvas o que alegra os produtores
Fotografia: Pedro Miguel

As intensas chuvas que se abatem sobre os municípios da província do Kwanza-Sul prometem óptimas colheitas no ano agrícola 2012/2013, revelou o director provincial da Agricultura, Pedro Lambuazau.
Em declarações ao Jornal de Angola, informou que estão disponíveis 100 toneladas de semente de milho, cinco de feijão, cinco de massambala e cinco de massango.
Na campanha estão envolvidas 199.704 famílias, filiadas na União Nacional dos Camponeses Angolanos (UNACA) e apoiadas pelo Instituto de Desenvolvimento Agrícola (IDA), disse Pedro Lambuazau. Para esta campanha a província tem mais 15 tractores que vieram reforçar a capacidade da Empresa de Mecanização Agrícola, Mecanagro, na preparação dos terrenos para o cultivo.
“Neste ano agrícola temos preparados 556.214 hectares do sector camponês e 49.764 hectares do ramo empresarial”, disse o director da Agricultura, acrescentando que para o Kwanza-Sul foram enviadas 300 toneladas de adubo, 150 toneladas de sulfato de amónio, 400 charruas e três mil catanas.
Dos 3.172 agricultores registados na província do Kwanza-Sul, apenas 1.110 exercem com regularidade a sua actividade.
O director Pedro Luambuazau está preocupado com as dificuldades de escoamento da produção para os grandes centros devido à falta de transporte: “as famílias camponesas, para escoar a sua produção para Luanda ou outros mercados alugam viaturas, o que é bastante oneroso”. Reconheceu que, apesar da criação, o ano passado, de um entreposto comercial na Gabela, o aluguer de viaturas ainda prevalece, especialmente para os agricultores que têm as suas propriedades em áreas longínquas. Em consequência da prolongada seca que afectou a província o ano passado, os camponeses enfrentam sérias dificuldades para pagar o crédito agrícola, segundo o director provincial da Agricultura, que  garante  medidas para se reverter o quadro .

Tempo

Multimédia