Províncias

Fóruns municipais para o crescimento

Casimiro José| Quibala

Os municípios do Amboim e Quibala, no Cuanza Sul contam com Fóruns de Desenvolvimento Local para identificar os problemas que afectam as comunidades e articular junto das autoridades administrativas acções para a sua resolução.

Autoridades reconheceram a importância da constituição de fóruns comunitários na região por ser um espaço de debate de ideias
Fotografia: Casimiro Pedro

A iniciativa é da Associação angolana para a Educação de Adultos no quadro do projecto “Participação Comunitária no Desenvolvimento Local” que está a ser executado na província do Cuanza-Sul, desde Abril e que termina em Março de 2016.
O projecto conta com o financiamento da União Europeia e da ICCO Holandesa. Tem o aval do Ministério da Administração do território e do Governo Provincial do Cuanza-Sul. Pretende criar espaços de articulação de diversos grupos de interesse locais com as autoridades administrativas para uma planificação conjunta,  em torno do desenvolvimento, para a divulgação de boas práticas.
Os fóruns vão permitir aglutinar sinergias entre os líderes das comunidades, pessoas singulares e representantes de vários grupos de interesse, com os administradores comunais e municipais na identificação de questões prioritárias. No quadro do  projecto de desenvolvimento local, a Associação Angolana para Educação de Adultos seleccionou 120 membros para os fóruns comunitários, sendo 60 por cada município. Nas sessões de apresentação dos fóruns participaram os administradores municipais do Amboim e da Quibala, autoridades tradicionais, representantes de partidos políticos, líderes de igrejas e organizações da sociedade civil. O presidente de direcção da Associação Angolana para Educação de Adultos, Victor Barbosa, disse que os fóruns de ­desenvolvimento local são espaços que podem desenvolver “a governação participativa nas comunidades” e criar um ambiente de partilha.
Victor Barboa salientou que o processo democrático deve envolver os membros das comunidades que, de forma responsável, emitem as suas opiniões sobre as potencialidades que apresentam para a solução dos problemas que surgem.
O representante da ICCO Holandesa na África austral, Angels Sibindi, referiu que a sua organização aceitou o desafio de apoiar o projecto por ser actual: “Nós financiamos o projecto porque entendemos que vai contribuir para a participação responsável dos cidadãos no processo de desenvolvimento local das comunidades”.
O administrador municipal da Quibala, Manuel Francisco Fernando, reconheceu a importância da constituição de fóruns comunitários na região, que considerou “um espaço de afirmação das comunidades para o cumprimento dos deveres e direitos”. Manuel Fernando garantiu que a sua administração vai apoiar o projecto para que os fóruns constituídos possam desempenhar um papel relevante.

Tempo

Multimédia