Províncias

Governador defende serviços de saúde dignos

Casimiro José |Sumbe

O governador do Kwanza-Sul, Serafim do Prado, disse que um dos desafios do executivo provincial é “trabalhar junto dos responsáveis de saúde para que o sector preste serviços de qualidade, a começar pelo acompanhamento dos quadros e técnicos”.

Chefe do executivo provincial ao centro quando recebia explicações sobre o funcionamento do hospital geral do Sumbe
Fotografia: Casimiro José

O governador do Kwanza-Sul, Serafim do Prado, disse que um dos desafios do executivo provincial é “trabalhar junto dos responsáveis de saúde para que o sector preste serviços de qualidade, a começar pelo acompanhamento dos quadros e técnicos”.
Serafim Maria do Prado fez esta declaração na sexta-feira, no Sumbe, quando visitava o Hospital Geral 17 de Setembro. “Há uma necessidade de requalificar estruturalmente o hospital, face ao seu avançado estado de degradação”, alertou.
“Temos consciência de que a missão de um hospital é prestar assistência médica e medicamentosa e não a de gerar doenças, o que passa pela conjugação de esforços entre os investimentos e os técnicos qualificados imbuídos de espírito humanizado”, frisou.
Para o governador há também a necessidade do sector da saúde dar apoio à periferia, a fim de desafogar o hospital geral.
Durante a visita, o governador constatou a falta de remédios, com realce para os antibióticos, analgésicos e outros fármacos. De acordo com o chefe de secção da área de medicamentos e equipamentos, António Adelino João, a carência de fármacos regista-se há mais de um ano, mas garantiu que a situação pode estar resolvida nos próximos tempos.
Na oportunidade, o director do Hospital Geral 17 de Setembro, Abreu Undongo, afirmou que “com aproximação das chuvas a água apresenta-se imprópria para o consumo e muitas vezes a população esquece-se de a tratar, o que provoca doenças”.
Além de visitar esta instituição sanitária, o governador esteve na companhia de alguns responsáveis do partido no poder, nas instalações do departamento provincial de saúde pública e controlo de endemias, depósito de medicamentos e equipamentos, Escola Técnica provincial de Saúde Pública e na Maternidade.

Educação  e Ensino

O Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED) do Sumbe promoveu, em Porto-Amboim, a primeira jornada científico-pedagógica do ensino primário.
A iniciativa, que decorreu durante três dias e terminou na sexta-feira, teve por objectivo expor os melhores trabalhos de defesa de tese de licenciatura em Educação Primária.
Sob o lema “A escola primária em transformação, frente à reforma educativa”, contou com a presença de 240 participantes, com destaque para professores licenciados, directores provinciais dos organismos públicos e responsável da Administração.
Estruturada em quatro painéis – “As exigências do processo de ensino e aprendizagem”, “O trabalho metodológico”, “O papel do professor do ensino primário” e “A gestão das estruturas da direcção do processo docente” – a jornada foi orientada pelo vice-decano para a área académica do ISCED do Kwanza-Sul, António Nzinga, que também se debruçou sobre a formação dos professores e os novos caminhos para enfrentar os desafios da mono-docência.
O administrador municipal de Porto-Amboim, António Kapassola, na qualidade de anfitrião do evento, destacou o papel do professor do ensino primário de “catalizador para a formação do homem novo e o impulsionador de desenvolvimento das comunidades, não só no Kwanza-Sul, como em todo o país”.
“Temos de reconhecer que o professor do ensino primário tem grandes responsabilidades na formação das novas gerações e deve haver a preocupação da sua formação e evolução permanentes, para responder aos desafios do presente e do futuro”, frisou.
António Kapassola considerou a Universidade como sendo o centro das mudanças e felicitou o ISCED do Sumbe por ter realizado a jornada, que permitiu a troca de experiências entre os presentes.

Tempo

Multimédia