Províncias

Governador pede envolvimento de todos no processo de alfabetização na província

Victor Pedro | Sumbe

O governador provincial do Kwanza-Sul, Serafim do Prado, exortou, na quinta-feira, na comuna da Ngangula, município do Sumbe, todos os sectores sociais no sentido de se envolverem no processo de alfabetização.

O governador provincial do Kwanza-Sul, Serafim do Prado, exortou, na quinta-feira, na comuna da Ngangula, município do Sumbe, todos os sectores sociais no sentido de se envolverem no processo de alfabetização.
Serafim do Prado considerou, durante o acto provincial do Dia , Internacional de Alfabetização, assinalado quarta-feira,que a participação da população permite o pleno exercício da cidadania.
Destacando o papel oportuno dos parceiros sociais do governo, frisou que, em fases críticas da história do país, contribuíram para ensinar os cidadãos a ler e escrever, principalmente no meio rural, onde o acesso aos estabelecimentos de ensino regular é mais difícil.
Recordou que, após ter sido alcançada a independência, a 11 de Novembro de 1975, o governo da então República Popular de Angola institucionalizou a batalha da alfabetização, com o objectivo de inverter a taxa de analfabetismo, herdada de cinco séculos de dominação colonial.
No âmbito do processo de alfabetização em curso, salientou Serafim do Prado, a província registou avanços significativos e na primeira fase da implementação do processo, até Março deste ano, foram alfabetizadas 12.377 pessoas, destacando as mulheres, que correspondem a 73 por cento.
Manifestando-se optimista relativamente à implementação da segunda fase do processo, iniciado em Julho último, anunciou estar previsto atingir, até final de 2010, um total de 24.774 alfabetizandos.
O acto, que decorreu sob o lema “Angola alfabetizada, Angola em marcha, todos pela alfabetização, alfabetização por todos”, mobilizou os membros do governo provincial, representantes das organizações da sociedade civil que intervêm na educação de adultos, professores e alunos, bem como igrejas e autoridades tradicionais.

A importância de saber ler

Fazendo a caracterização do flagelo do analfabetismo que atinge muita gente a nível planetário, o governador considerou que este limita a pessoa na sua comunicação com o mundo, dificulta a compreensão de tudo o que acontece à sua volta, impede a pessoa de adquirir conhecimentos sobre a instrução e educação e sobre a percepção de aspectos ligados à saúde.
Serafim do Prado lembrou que o 8 de Setembro, instituído pela Organização das Nações Unidas para Ciência e Cultura (UNESCO), visa reflectir e concretizar os grandes desafios e anseios que se colocam no âmbito da alfabetização e homenagear aqueles que se dedicam arduamente à nobre missão do combate ao analfabetismo.
“O 8 de Setembro, data consagrada internacionalmente à alfabetização, representa uma grande responsabilidade que se exige não só a Angola, mas também ao resto mundo, sobretudo aos países subdesenvolvidos e em vias de desenvolvimento, nos quais, segundo a UNESCO, cerca de 20 por cento da população mundial ainda carece de competências de leitura e escrita”, afirmou.
Apontou que a educação, sendo um investimento de alto retorno, chega a ser o elemento crucial para gerar frutos económicos e sociais e contribuir para o desenvolvimento de cada país.
No final da jornada comemorativa foram exibidas danças tradicionais e procedeu-se à entrega simbólica de certificados aos finalistas que tiveram aproveitamento nos círculos de alfabetização.

Tempo

Multimédia