Províncias

Governo dá prioridade à agro-indústria

Casimiro José | Waku Kungo

O governador da província do Kwanza-Sul, Eusébio de Brito Teixeira, anunciou quarta-feira, na vila do Wako Kungo, município da Cela, a instalação de indústrias transformadoras nas zonas urbanas e rurais para o aproveitamento dos produtos agrícolas.

Governador acredita no êxito do fórum
Fotografia: casimiro José

Eusébio de Brito Teixeira falava na antecâmara do Fórum Produtivo, que se erealiza de 31 do corrente a 1 de Junho. O governador destacou as potencialidades agro-pecuárias da província, no que diz respeito à produção de cereais, café, algodão e óleo de palma e à criação de gado.
Como consequência da guerra, o Kwanza-Sul viu o seu desenvolvimento estagnar, mas a implantação de pequenas e médias indústrias transformadoras nas zonas peri-urbanas e rurais vai inverter o actual quadro, caracterizado pela degradação de produtos no por falta de mercado, garantiu.
O governador acrescentou que o Fórum pode alavancar o tecido produtivo e, ao mesmo tempo, identificar oportunidades para mais investimentos nos vários domínios socioeconómicos da província.
Eusébio de Brito Teixeira lançou um apelo aos empresários nacionais e estrangeiros para que façam parte do evento, de modo a partilharem experiências de desenvolvimento.
Durante o fórum, vão ser debatidos assuntos relacionados com a situação actual e perspectivas para o desenvolvimento actual da província, oportunidades de negócios e investimentos, produção de cereais, hortícolas, café, algodão, arroz e cana-de-açúcar. Num painel sobre a “Comercialização e Distribuição”, a direcção nacional do Comércio Rural vai apresentar o diagnóstico das principais dificuldades que se verificam no escoamento dos produtos para os chamados “mercados solidários”.
Consta ainda da agenda, a apresentação das políticas e estratégias do Estado na comercialização e a estratégia de desenvolvimento do comércio rural, logística, transporte e infra-estruturas de apoio aos circuitos comerciais.
Os programas Angola Investe e Crédito Agrícola de Campanha e os financiamentos do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) ao sector agrário do Kwanza-Sul, e o pacote legislativo sobre o investimento privado vão merecer, também, uma análise crítica dos participantes no Fórum. Outros assuntos a serem levados no encontro são as potencialidades e oportunidades para a indústria de Turismo, no contexto do desenvolvimento económico, promoção da indústria transformadora no sector privado, mecanismos para a atracção de investimentos e promoção do sector empresarial mineiro na província.
No Fórum vão participar empresários agrícolas, representantes de associações empresariais, associações e cooperativas agrícolas e autoridades tradicionais. Estão convidados os embaixadores da Namíbia, Zâmbia, Zimbabwe, África do Sul, Tanzânia, Portugal, Brasil, Espanha, Israel e da Itália.

Tempo

Multimédia