Províncias

Governo provincial cria políticas de fomento de postos de trabalho

Manuel Tomás |sumbe

A vice-governadora do Kwanza-Sul para a política social, Fernanda Cabral, afirmou que o Executivo tem vindo a criar políticas para inserção do cidadão, através da criação de postos de trabalho e a melhoria das condições de vida da população.

Vice-governadora (ao centro) usou da palavra no workshop sobre segurança alimentar e nutricional recentemente realizado
Fotografia: Manuel Tomás | Sumbe

A vice-governadora do Kwanza-Sul para a política social, Fernanda Cabral, afirmou que o Executivo tem vindo a criar políticas para inserção do cidadão, através da criação de postos de trabalho e a melhoria das condições de vida da população.
Intervindo no workshop sobre segurança alimentar, decorrido sexta-feira última no Sumbe, Fernanda Cabral acrescentou que o Executivo lançou recentemente a estratégia nacional de segurança alimentar e nutricional, com o objectivo de reduzir a fome e a miséria no seio da população.
A governante, ao falar de segurança alimentar e nutricional, disse que é necessário referir o acesso à terra e à sua utilização.
Fernanda Cabral afirmou que a actividade agrícola, pecuária, florestal, transformação e comercialização dos produtos só é possível se cada um souber aplicar as técnicas e envidar esforços para produzir mais e com qualidade.
O coordenador do núcleo de segurança alimentar nacional (Ensa) na província do Kwanza-Sul, Albino Chicale, disse que o evento serviu para transmitir aos participantes os objectivos que o Executivo pretende, entre os quais aumentar e diversificar a produção agro-pecuária e pesqueira.
O programa visa igualmente diminuir os níveis de má nutrição da comunidade através da melhoria das condições de acesso à alimentação, serviços primários de saúde, educação e saneamento básico.
A criação e concretização de sistemas nacionais e locais de alerta rápida, sistema de monitorização de segurança alimentar e nutricional, bem como mecanismos de comunicação e informação às famílias, consta das prioridades dos objectivos do Executivo, cujo programa é financiado pela Organização Não-Governamental Ajuda Popular da Noruega.
Albino Chicale, que também é responsável da Acção Angolana de Desenvolvimento (AAD), frisou que, como experiência piloto, o programa está a ser realizado nos municípios do Sumbe, Porto Amboim, Amboim, Conda, Quibala, Cela e Kassongue, havendo previsões de se alargar para outras circunscrições.
Albino Chicale enfatizou que o programa, vinculado institucionalmente ao Chefe do Executivo, integra os titulares dos sectores da Agricultura e Pesca, Comércio, Indústria, Educação, Saúde, MINARS, Planeamento, Finanças, Comunicação Social e representantes da sociedade civil, sob a coordenação do gabinete de segurança alimentar do Ministério da Agricultura.
Na acção formativa participaram membros do governo provincial, das administrações municipais, autoridades tradicionais e outros convidados.

Tempo

Multimédia