Províncias

Habitação social para a juventude

Manuel Tomás| Sumbe

A vontade de jovens possuírem casa própria começa a ter resposta das autoridades, principalmente no âmbito da estratégia de combate ao défice de habitação.
Para solucionar o problema habitacional, o Executivo atribuiu responsabilidades ao Ministério da Juventude e Desportos para a execução de um programa que visa a edificação de bairros sociais em todas as capitais provinciais.

Com a entrega de residências mais jovens vão viver de forma condigna
Fotografia: Victor Pedro| Sumbe

A vontade de jovens possuírem casa própria começa a ter resposta das autoridades, principalmente no âmbito da estratégia de combate ao défice de habitação.
Para solucionar o problema habitacional, o Executivo atribuiu responsabilidades ao Ministério da Juventude e Desportos para a execução de um programa que visa a edificação de bairros sociais em todas as capitais provinciais.
No âmbito do Projecto Angola Jovem, que visa a construção e venda de habitações aos jovens, no Sumbe vai realizar-se, no próximo mês de Fevereiro, a entrega de um bairro social, com 68 habitações.
O presidente do conselho provincial da Juventude, Agostinho Cassessa Miquinho, disse que após a entrega formal do bairro ao Governo Provincial, os beneficiários recebem as chaves.
O consenso, assegurou, surgiu na sequência de um encontro entre o governador Serafim do Prado e uma delegação de quadros do Ministério da Juventude.
Agostinho Cassessa disse que a empresa construtora do bairro está a efectuar os últimos acabamentos, que consistem na substituição de fechaduras, retoques nas portas e janelas, pintura, limpeza no interior e exterior das casas, arruamentos e outros arranjos.
Os beneficiários já estão a fazer contratos com o Banco de Poupança e Crédito (BPC), financiador do projecto, onde vão ser efectuados os pagamentos, através de salários e num prazo de 20 anos. A renda mensal é de 25.000 kwanzas.
O Governo Provincial do Kwanza-Sul contratou duas empresas que se vão encarregar do saneamento, energia eléctrica domiciliária e pública. Quanto ao abastecimento da água, salientou, está prevista a construção de um reservatório com capacidade para armazenar 1.500 metros cúbicos.

Casas nos municípios

Agostinho Cassessa salientou que vão ser construídas 25 habitações sociais na cidade do Waku Kungo (Cela), inseridas no pacote das 68 edificadas no Sumbe, 60 na Gabela e outras 40 em Cassongue.
O arranque das obras está condicionado à entrega de verbas, a serem disponibilizadas pelo Ministério da Juventude e Desportos. Maria Sumano, jornalista da emis­sora provincial da Rádio Nacional de Angola, louvou a iniciativa do Executivo em edificar um bairro social para acolher jovens que se debatem com o problema habitacional.
Aquela  jovem defende que projectos do género devem ter continuidade, uma vez que a juventude, na sua maioria, vive em casas arrendadas, o que cria alguns embaraços, tendo em conta os baixos salários que auferem.
Maria Sumano sugeriu que, no bairro, devem ainda ser projectados espaços de lazer para a juventude, nomeadamente quadras desportivas, casas de cinema e teatro, piscinas, biblioteca, postos de saúde, esquadra de polícia, bombeiros e serviços de transporte.

Tempo

Multimédia