Províncias

Habitantes de Cassongue já consomem água potável

Casimiro José| Cassongue

Mais de 15 mil habitantes da sede municipal de Cassongue e das aldeias de Santo António, Chipuri, Calumana, Lumbalua e Cruzamento, na província do Cuanza Sul, passaram a beneficiar de água potável com a entrada em funcionamento na sexta-feira de seis sistemas combinados de captação e distribuição deste produto.

Fotografia: Edições Novembro

Os seis sistemas combinados de distribuição de água construídos de raiz pela empresa Owini, do Grupo Mitrelli, em 120 dias, no quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIP), custaram aos cofres do Estado cerca de seis milhões de dólares.
Com a conclusão dos seis empreendimentos, inaugurados pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, a província do Cuanza Sul passa a contar com 44 sistemas de água em funcionamento, faltando concluir 14 para se atingirem os 60 projectos programados para esta parcela de Angola.
O governador provincial do Cuanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira,satisfeito com a consolidação do projecto, referiu que anteriormente a população obtinha água para o consumo e outros fins nos arredores da vila dos riachos e cacimbas, um produto sem a qualidade desejada,resultando em inúmeras doenças, sobretudo as de origem hídrica, como doenças diarreicas e respiratórias agudas, febre tifóide e outras.
Eusébio de Brito Teixeira reconheceu que a paz fez com que o Executivo passasse a construir mais empreendimentos sociais nas comunidades. Por isso, pediu aoslíderes comunitários, autoridades tradicionais e população em geral para colaborarem na conservação dos bens públicos.
O ministro da Energia e Água, JoãoBaptista Borges, acompanhado pelo secretário de Estado Luís Filipe da Silva e altos responsáveis do pelouro, garantiu que o sector que dirige vai continuar a trabalhar na expansão dos sistemas e redes de distribuição de água, sobretudo no meio rural, que constitui a maior preocupação do Executivo, por formas a fazer baixar a mortalidade infantil.
João Baptista Borges garantiu que o Executivo continua a trabalhar para melhorar as condições de vida das populações e reafirmou que esforços neste sentido vão ser reforçados para se dar resposta a outras preocupações que afligem as comunidades, principalmente nos sectores da saúde, educação e fomento da produção agro-pecuária.
O ministro recordou que o sector das Águas cobre actualmente 62 por cento do território nacional e, nos próximos anos, pretende atingir os 82 por cento.

Tempo

Multimédia