Províncias

Hospitais recebem meios

César André

Material hospitalar gastável e de laboratório foi entregue, na quarta-feira, às unidades sanitárias  do município do Libolo e da comuna da Cabuta, no Cuanza Sul, pela organização não governamental angolana Promoção e Desenvolvimento - Prode.

Materiais vão minimizar alguma carência
Fotografia: César André

Os bens hospitalares, avaliados em cerca de 12 milhões de kwanzas,  foram entregues pelo presidente da Prode, Amílcar Inácio Evaristo, à administradora municipal adjunta para a esfera Económica e Social, Fátima Emília da Cunha. 
O chefe da Repartição da Saúde do município Libolo, José Fernandes Manuel, manifestou-se feliz pelo gesto e agradeceu a iniciativa da Prode que, de certo, modo vai ajudar a contribuir para minimizar alguma carência de material e de equipamentos que afectam as unidades  sanitárias.
“No hospital temos dificuldades de vária ordem, por isso, este apoio veio a calhar, mas, ainda assim, necessitamos de muito apoio para que a unidade sanitária possa prestar a devida assistência às populações”, precisou.
José Fernandes Manuel lançou um repto às demais associações no sentido de emprestarem a sua solidariedade para que o hospital possa tratar de várias epidemias mais frequentes na circunscrição.  
Com capacidade de  internamento  de 100 pacientes, o hospital municipal do Libolo atende diariamente mais de 20 doentes. Os serviços de saúde são assegurados por onze enfermeiros e um médico de clínica geral.
O chefe da Repartição da Saúde do município Libolo disse que a grande preocupação de momento tem a ver com a falta de um médicos cirurgiões, situação que considera difícil, tendo em conta o funcionamento do bloco operatório.
O hospital tem recebido doentes dos municípios do Mussende, Quibala e de outras localidades limítrofes de Malanje e do Cuanza Norte, mas a falta de  médicos cirurgiões tem dificultado o trabalho que se pretende.

Tempo

Multimédia