Províncias

Hospital do Mussende necessita de médicos

Casimiro José | Mussende

O Hospital Municipal do Mussende, na província do Cuanza-Sul, necessita, pelo menos, de mais cinco médicos de várias especialidades, disse o seu director.

Assistência à população é feita com algumas dificuldades
Fotografia: Casimiro José | Edições Novembro| Mussende

Manuel Donga disse ao Jornal de Angola que o hospital tem apenas dois médicos e atende, em média, 180 casos por dia, com a malária a liderar a lista das patologias. 

“Temos um grande défice de médicos e para minimizar a situação necessitamos de mais cinco”, disse Manuel Diogo, acrescentando que os casos que podiam ser atendidos no hospital são evacuados para o Sumbe, o que, tendo em conta a degradação das vias de acesso e o mau estado técnico da ambulância, provoca grandes embaraços.
Segundo o director do Hospital Municipal do Mussende, outra situação que dificulta o atendimento aos pacientes tem a ver com as infra-estruturas, que não respondem à densidade populacional.
“As infra-estruturas actuais já não respondem ao número actual dos habitantes que vivem na sede municipal e seus arredores, por isso a saída é construirmos um novo hospital, para responder ao contexto actual”, disse.
Manuel Diogo explicou que Mussende é uma região endémica, sendo as principais doenças a malária, as diarreias e doenças respiratórias agudas e anemia, situação que sobrecarrega os dois médicos e 18 enfermeiros que prestam serviço na unidade hospitalar.
Com 50 camas, o Hospital Municipal do Mussende, concebido para um centro médico, presta serviços de enfermagem geral, pediatria e maternidade.

 

Tempo

Multimédia