Províncias

Instituto Médio Nacional de Petróleos lançou jovens no mercado de trabalho

Victor Pedro | Sumbe

Um grupo de 173 jovens finalistas, que frequentaram o ensino médio no Instituto Nacional de Petróleos (INP) do Sumbe, entre 2009 a 2011, concluiu com êxito a formação académica. 

A alegria era visível no rosto dos novos técnicos médios de petróleos formados nos últimos quatro anos na cidade do Sumbe
Fotografia: Victor Pedro | Sumbe

Um grupo de 173 jovens finalistas, que frequentaram o ensino médio no Instituto Nacional de Petróleos (INP) do Sumbe, entre 2009 a 2011, concluiu com êxito a formação académica. 
Os trabalhos de fim de curso nas áreas de geologia petrolífera, geologia de minas, perfuração e produção, processamento de gás, refinação, instrumentalização petrolífera, mecânica, manutenção, instalação petrolífera e exploração foram apresentados individualmente, durante três dias, no auditório do INP, na presença de docentes, encarregados de educação e amigos dos finalistas.
O director pedagógico do Instituto Nacional de Petróleos, Alegria Raul, destacou a importância do fim do ano lectivo, por marcar mais uma etapa na formação técnico-profissional no ramo petrolífero em Angola.
Alegria Raul anunciou que o instituto vai continuar a formar trabalhadores especializados, com “excelência e qualificação profissional a todos os níveis, para a indústria petrolífera e não só, para que os trabalhos ou projectos desenvolvidos se possam adequar aos interesses comunitários”.
O director pedagógico revelou que, desde a sua criação, o INP lançou para o mercado de trabalho 4.305 técnicos. As aulas são ministradas por 57 docentes, sete por cento dos quais estrangeiros, ainda insuficientes, em função dos projectos de expansão da instituição.
Alegria Raul acrescentou que esforços têm sido feitos no sentido de admitir professores que respondam às exigências actuais. 
O director pedagógico do Instituto Nacional de Petróleos anunciou para o próximo ano a abertura de cursos técnicos superiores, com a duração de dois anos, enquanto se desenvolve um projecto de expansão a nível regional e internacional, que aguarda apenas pelo cumprimento de alguns instrumentos legais, para a sua execução.

Tempo

Multimédia