Províncias

Instituto Superior tem nova direcção

Casimiro José| Sumbe

O reitor da Universidade Katiavala Bwila, Paulo de Carvalho, fez ontem a apresentação do corpo directivo do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED) do Sumbe.

Reitor da Universidade Katyaval
Fotografia: Casimiro José

O reitor da Universidade Katiavala Bwila, Paulo de Carvalho, fez ontem a apresentação do corpo directivo do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED) do Sumbe.
O elenco directivo é composto por Amélia Sakongo, decana do ISCED do Sumbe, e integra António Nzinga, vice-decano para os assuntos académicos e José Mulay, vice-decano para os assuntos científicos.
Foram ainda apresentados, durante a cerimónia, os decanos e vice-decanos das faculdades de DIreito, Medicina e de Economia da província de Benguela, que juntamente com a do Kwanza-Sul faz parte da Universidade Katyavala Bwila.
O coordenador cessante do então Pólo Universitário do Kwanza-Sul, Amílcar Evaristo, considerou importantes as remodelações que estão sendo operadas ao nível do ensino superior em Angola e assinalou que “essas mudanças são a consequência dos esforços empreendidos pela Universidade Agostinho Neto, sobre a expansão do ensino superior em Angola”.
Destacou que, durante o seu mandato, o Pólo Universitário do Kwanza-Sul colocou no mercado muitos técnicos superiores, e recordou momentos em que foi preciso tomar medidas radicais para conter as manifestações da corrupção, “cábulas” e fenómenos de regionalismo. Desejou ao novo corpo directivo que consolide os objectivos da universidade nesta região do país.
Amélia Sakongo, nova decana do ISCED do Sumbe, afirmou que, durante o seu mandato de quatro anos, vai formar uma equipa sólida para conduzir os destinos da escola no Kwanza-Sul, sublinhando que “o momento é de união, acção e partilha de ideias para o engrandecimento da nossa faculdade”.
O reitor Paulo de Carvalho anunciou que, volvidos três meses desde que foi constituída a reitoria, a Universidade Katyavala Bwuila está empenhada no diagnóstico de mecanismos que vão conduzir esta unidade orgânica na formação de técnicos superiores, com competências técnicas à altura das necessidades do mercado de trabalho.
Paulo de Carvalho afirmou que a reitoria está empenhada na elaboração do plano de desenvolvimento institucional da Universidade Katyavala Bwila para ser remetido ao Conselho de Ministros, com objectivo de resolver os problemas que afligem a instituição académica.
Apontou a corrupção e a incompetência no seio dos docentes, como sendo os principais males a combater durante o mandato e disse que todos os docentes vão passar por um inquérito, para apurar o perfil de cada um, principalmente no domínio da investigação científica e trabalhos publicados.
“Temos de saber qual é o perfil dos docentes da Universidade Katyavala Bwila”, disse Paulo de Carvalho, assegurando que, a partir do próximo ano lectivo, os docentes vão ser avaliados em termos de percentagem de alunos aprovados.
Paulo de Carvalho pediu ao corpo directivo do ISCED do Sumbe e aos docentes a primarem pelo respeito pelos estudantes, alertando que “aqueles que faltarem respeito no exercício da actividade docente, esquecendo que um dia foram alunos, vão ser punidos nos termos da Lei”.

Tempo

Multimédia