Províncias

Jornalistas abordam violência doméstica

Manuel Tomás | Sumbe

Jornalistas e trabalhadores de distintos órgãos de informação participaram, na sexta-feira, na cidade do Sumbe, numa palestra promovida pela Direcção Provincial da Comunicação Social, subordinada ao tema “Comunicação social e a prevenção da violência doméstica”.

Jornalistas e trabalhadores de distintos órgãos de informação participaram, na sexta-feira, na cidade do Sumbe, numa palestra promovida pela Direcção Provincial da Comunicação Social, subordinada ao tema “Comunicação social e a prevenção da violência doméstica”.
A palestra teve como prelector o jornalista da Emissora Provincial do Kwanza-Sul da Rádio Nacional de Angola Sabino Noy Júnior.
O orador informou os participantes sobre as causas e consequências da violência doméstica, explicando que esta pode ser física, psicológica, socio-económica e sexual.
Durante a palestra, que foi moderada pelo jornalista Luís Pedro, director das Edições Novembro no Kwanza-Sul, Sabino Noy Júnior referiu que a violência doméstica se tornou um problema mundial e, em Angola, é um fenómeno que preocupa toda a sociedade, incluindo o Governo, imprensa, igrejas, Organizações Não-Governamentais e pessoas individuais. Apesar de não ter apresentado dados estatísticos, frisou que ela é mais praticada por homens contra mulheres. />Referindo-se ao papel que a Comunicação Social pode desempenhar na promoção da tolerância, respeito e liberdade de religião, considerou que ela tem de contribuir para a erradicação deste mal, não só através das ferramentas directas de que dispõe, mas também através da promoção de palestras, seminários, debates radiofónicos e outras acções de sensibilização.
O jornalista sublinhou que os órgãos de Comunicação Social não devem ser utilizados no incentivo ao ódio ou a outras acções que contribuam para o incremento da violência. Os media, salientou, desempenham um importante papel na formação e informação das pessoas, por isso, “podem influenciar na mudança de comportamentos”, disse.
 A palestra contou com a participação de membros do governo local, que deram a sua contribuição com opiniões sobre o tema e sugeriram a realização de mais encontros do género.Recentemente, em Luanda, realizou-se também um encontro do género.

Tempo

Multimédia