Províncias

Kwanza-Sul aposta na formação para melhorar serviços públicos

Carlos Bastos | Sumbe

O vice-governador da província do Kwanza-Sul para o sector económico, Mateus de Brito, afirmou no Sumbe que a formação de quadros das administrações locais é a melhor aposta para o desenvolvimento das comunidades do interior.

Mateus de Brito falava no encerramento do seminário de capacitação sobre procedimentos administrativos e gestão patrimonial, dirigido aos administradores comunais e chefes de gabinete das administrações municipais da província do Kwanza-Sul.
“A formação de quadros das administrações locais é a melhor aposta para o desenvolvimento das comunidades do interior e serve de catalisador no combate às assimetrias em termos de recursos humanos”, enfatizou.
O governante sublinhou que o curso de capacitação de administradores comunais e chefes de gabinete vai melhorar os níveis de organização e de qualidade dos serviços públicos.
Mateus de Brito defendeu a continuidade de mais círculos de formação no seio dos quadros e agentes administrativos da província do Kwanza-Sul, como sendo uma aposta que garante a eficácia e eficiência na prestação dos serviços públicos.

Liderança e gestão

O seminário de capacitação e formação, que teve a duração de 30 dias, foi orientado por quadros do Instituto de Formação da Administração Local (IFAL), em parceria com o Governo da Província do Kwanza-Sul.
Temas como o regime jurídico, organização e tutela administrativa, planeamento estratégico operacional, liderança social e tradicional, princípio do poder tradicional, entre outros assuntos, foram abordados no seminário.
Os participantes aprenderam também matérias sobre a liderança e gestão de mudanças, planeamento, ordenamento do território e desenvolvimento urbanístico.
“Gestão de recursos humanos, técnicas de tributação e administração de receitas, contracção pública, delimitação de competências, gestão e administração de tempo”, constituíram igualmente matérias de estudo. Os participantes no seminário recomendaram que se deve iniciar um processo de avaliação do tipo de liderança mais usado na gestão das administrações comunais e proporcionar um processo aberto, que visa criar, capacitar e orientar equipas de trabalhos, com responsabilidades claras a serem orientadas pelo Governo.

Recomendações


Os participantes recomendaram igualmente que se reavalie e aprimorem os mecanismos de gestão e orientação dos recursos humanos afectos às administrações municipais e comunais, de modo a criar melhor harmonia e dinâmica no cumprimento dos serviços públicos.
 Outras recomendações foram a mobilização dos vários serviços comunais, no sentido de identificar, registar e sensibilizar as populações a não construir nas zonas de risco; a reavaliação dos comportamentos dos responsáveis das administrações comunais, na base dos princípios éticos e deontológicos; o aumento do nível de formação académica e profissional dos administradores e especialistas das administrações municipais e comunais da província do Kwanza-Sul.

Tempo

Multimédia