Províncias

Kwanza-Sul traça programas de desenvolvimento rural

Victor Pedro | Sumbe

O seminário provincial sobre a implementação dos programas municipais integrados de desenvolvimento rural e combate à pobreza, realizado na semana finda, no Sumbe, sob o lema “Combate à pobreza, um compromisso do Governo Angolano”, vai dar maior autonomia aos gestores públicos.

Durante três dias foram discutidos temas ligados ao programa de combate à fome e à pobreza e desenvolvimento rural
Fotografia: Victor Pedro | Sumbe

O seminário provincial sobre a implementação dos programas municipais integrados de desenvolvimento rural e combate à pobreza, realizado na semana finda, no Sumbe, sob o lema “Combate à pobreza, um compromisso do Governo Angolano”, vai dar maior autonomia aos gestores públicos.
O governador da província, Serafim Maria do Prado, realçou, na sessão de abertura, o impacto e objectivos que vão advir do seminário, uma vez que o problema da pobreza não é exclusivo de Angola, mas sim um flagelo que alastra pelo mundo de forma dramática, enfraquecendo os países subdesenvolvidos, não só em África mas também na Ásia e América Latina.
O encontro, que foi dirigido aos delegados, directores, administradores municipais e comunais, chefes de departamento e repartições do planeamento, discutiu, durante três dias, temas ligados ao programa de combate à pobreza, desenvolvimento rural e comércio rural. Os projectos municipais do programa “Água para todos”, a estratégia de segurança alimentar e nutricional e a municipalização dos serviços de saúde mereceram igualmente a atenção dos participantes.
Os gestores públicos também trataram de temas como a integração dos programas municipais no orçamento geral e os instrumentos para a sua gestão previstos no regime local, o sistema nacional estatístico, sistema de planeamento nacional e programas municipais, e as regras de execução do OGE do ano económico 2011.
No tocante às constantes perdas dos produtos produzidos no interior da província, por dificuldades de escoamento, os participantes no seminário recomendaram que seja célere a reparação das vias de acesso entre as povoações, municípios e outras áreas da região, permitindo assim as trocas comerciais entre a cidade e o campo.
Além disso, sugeriram que sejam criadas microindústrias transformadoras dos produtos do campo e que se desenvolvam acções para potenciar as associações e cooperativas no domínio agro-industrial.     
Relativamente ao programa de habitação social, consideraram que este deve ser extensivo a todos os municípios da província, no sentido de criar condições que permitam elevar os níveis de prestação de serviços às populações e desencorajar o êxodo das zonas rurais para os centros urbanos.
No âmbito do programa “Água para todos”, pediram que seja dada prioridade às zonas mais carenciadas do interior, com o recurso à captação em nascentes onde for possível, ou com furos artesianos. Recomendaram também que a reabilitação do sistema de captação e distribuição de água do Sumbe seja feita urgentemente.
Pediram ainda aos órgãos competentes e responsáveis que revejam o andamento das obras do saneamento das cidades do Sumbe, Amboim (Gabela) e Porto-Amboim, iniciadas pela empresa de construção civil Odebrechet, que se encontram paralisadas, agravando a situação na capital da província e a resolução urgente da questão que tem criado inúmeros problemas para a imagem e bem estar das populações. No encerramento do seminário, a vice-governadora para a esfera política e social, Fernanda Cabral de Almeida, sublinhou estarem criadas as condições que vão dinamizar os dossiers que foram recentemente debatidos no último fórum nacional sobre os programas municipais integrados de desenvolvimento rural e combate à fome e à pobreza.

Tempo

Multimédia