Províncias

Maternidade com bons indicadores

Casimiro José | Sumbe

A assistência materno-infantil no Cuanza Sul conheceu avanços significativos nos últimos tempos, graças à disponibilização de recursos financeiros e de equipamentos pelo Governo Provincial, disse ontem, no Sumbe, a directora da Maternidade Provincial.

Adesão das mulheres às consultas pré-natais na Maternidade Provincial do Cuanza Sul permitiu atingir indicadores animadores
Fotografia: Nilo Mateus

Francisca Kwaya reconheceu que o alargamento dos serviços prestados na unidade hospitalar e a adesão das mulheres às consultas pré-natais são os principais factores que permitiram atingir os indicadores quantitativos e qualitativos na província.
Fruto da melhoria da assistência às mulheres, a taxa de mortalidade infantil reduziu significativamente, também pelo empenho dos médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar afecto à instituição, reconheceu a directora da maternidade, que assegurou que para uma prestação à altura das exigências, a direcção da instituição prima pela formação permanente do pessoal no sentido de responder aos desafios do presente e do futuro.
Quanto ao funcionamento da maternidade, a directora referiu que a instituição passou por distintas fases da sua implantação e organização, para que atingisse os actuais níveis de prestação ao público, que considera satisfatório.
“A Maternidade Provincial surgiu como unidade autónoma, em Março de 2002, uma vez que antes era uma secção que dependia do Hospital Geral 17 de Setembro do Sumbe. De lá para cá, a unidade goza de autonomia administrativa, financeira e patrimonial”.
Para assegurar os serviços, a unidade clínica conta com 11 médicos, dos quais uma especialista nacional, três licenciados e um bacharel em enfermagem, 12 técnicos de diagnóstico e terapêutica, 69 técnicos de enfermagem de vários escalões e 84 efectivos de apoio, entre maqueiros, vigilantes, copeiros, guardas e condutores.
A taxa de mortalidade baixou consideravelmente a nível da maternidade, considerou Francisca Kwaya. Fazendo uma resenha comparativa, anunciou , no ano passado, a taxa de mortalidade situou-se em 0.3 por cento, enquanto que de Janeiro a presente data, ataxa caiu para 0.1 por cento. Acrescentou que a taxa de mortalidade líquida, em 2014, foi da ordem de 0.2 por cento e, nos oito meses do corrente ano, a taxa caiu para zero por cento.
Quanto à neonatologia, Francisca Kwaya frisou que a instituição, em 2014, teve uma taxa de 7.1 por cento, ao passo que no corrente ano a cifra situou-se em 1.5 por cento
A directora salientou que “é uma grande conquista, se atendermos aos múltiplos factores que condicionam o bem-estar nas comunidades”. Número de partos Quanto aos partos, Francisca Kwaya anunciou, em 2014, a unidade assistiu um total de 2.698 partos, dos quais 24 por cento cesariana, enquanto de Janeiro a Agosto do corrente ano já foram realizados 3.088 nascimentos, dos quais 22  por cento cesariana.
No capítulo obstétrico, disse que os casos mais frequentes estiveram relacionados com partos arrastados, hemorragias, hematomas, placenta pélvica, rotura uterina, hidrocefalia, má formação congénita e gravidez atópica.

Outras enfermidades

Quanto às hemorragias, as causas resultaram de hipertensão, abortos, malária, entre outras enfermidades. Já no fórum ginecológico, os casos tiveram como causas os abortos, gravidez utópica, molas hidratiformes, infertilidade, entre outras, referiu a responsável da unidade clínica. Francisca Kwaya adiantou que a direcção da maternidade tem como perspectivas a continuidade do processo de formação permanente dos técnicos, melhorar o sistema de comunicação e, como tarefa prioritária, ampliar
os serviços de consultas externas sobre o rastreio dos cancros do colo uterino e da mama.
A directora da maternidade assegurou que o abastecimento, quer seja de medicamentos, quer de alimentos estão garantidos, através dos fornecedores que prestam serviços à instituição.
Acrescentou que o abastecimento de água potável também está garantido, através da rede pública e, quando há falhas, existem os reservatórios acoplados com sistemas de electrobomba.

Tempo

Multimédia