Províncias

Mau estado das estradas do município atrasa o desenvolvimento de Mussende

Casimiro José | Mussende

A degradação em que se encontra a via que dá acesso à sede do município de Mussende, província do Kwanza-Sul, está a preocupar as autoridades locais e a população, por condicionar a execução de projectos económicos e sociais.

O trajecto entre Quibala e a sede do município é feito em mais de cinco horas devido à degradação acentuada da via
Fotografia: Casimiro José

A degradação em que se encontra a via que dá acesso à sede do município de Mussende, província do Kwanza-Sul, está a preocupar as autoridades locais e a população, por condicionar a execução de projectos económicos e sociais.
O trajecto de 128 quilómetros entre a Quibala e a sede do município do Mussende, é feito em mais de cinco horas, porque a estrada está em mau estado. Esta situação, além de desencorajar os potenciais investidores, cria dificuldades na vida social e económica de Mussende, impedindo a transporte de materiais e equipamentos para as obras de construção ou reabilitação de infra-estruturas.
A administradora do município, Joaquina Gabriel, teme que a execução dos projectos planificados para este ano não sejam cumpridos na totalidade, dado o mau estado estado da única via e das pontes.
Joaquina Gabriel pede aos organismos centrais para fazerem obras na estrada porque Mussende foi uma das localidades mais atingidas pela guerra. Apesar dos condicionalismos da estrada, a Administração Municipal concebeu um plano para a reconstrução do município. Foram elaborados sete projectos que contemplam o levantamento topográfico para urbanização da vila, construção e reabilitação de infra-estruturas sociais e aquisição de equipamentos.
Das obras em curso, algumas em fase conclusiva, com destaque para a construção de um centro médico e a reabilitação e ampliação da anterior unidade sanitária, construção de dois postos de saúde, um na aldeia Santo Agostinho, na comuna do São Lucas, e outro no Km 40.
A construção de um centro médico na comuna de Kienha e a construção dos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável e de corrente eléctrica fazem igualmente parte do plano.
Também está a ser construída uma escola com 12 salas para o segundo ciclo, na sede municipal. A administradora Joaquina Gabriel disse que o município está a promover a pesca artesanal e as hortas comunitárias para enriquecer a dieta alimentar dos habitantes.

Saúde e educação

Os sectores da saúde e educação enfrentam grandes dificuldades. Há poucos postos e centros de saúde e a assistência médica e medicamentosa é deficiente. A rede sanitária em funcionamento no município tem um centro materno infantil e dois postos de saúde, nas comunas de São Lucas e Kienha.
Tem um corpo clínico constituído por um médico, dois técnicos médios, três técnicos de diagnóstico e terapêutica e 110 enfermeiros de nível básico.
O centro materno infantil tem consultas de medicina, pediatria e uma maternidade. Os pacientes que precisem de consultas noutras especialidades são evacuados para o Sumbe ou para os hospitais dos municípios limítrofes.
As duas ambulâncias de Mussende estão avariadas e para evacuar os doentes é preciso recorrer à viatura da Administração Municipal. O centro médico está em reabilitação e não pode atender doentes.
Quanto à educação, a rede escolar de Mussende tem 28 escolas, sendo duas de carácter definitivo e as restantes de construção precária. Existe apenas uma escola para o segundo ciclo.
No presente ano lectivo foram matriculados 19.246 alunos da iniciação à 12ª classe e o ensino é assegurado por 471 professores de vários escalões.
O Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE) absorve, no município, 4.303 alunos de ambos os sexos.

Agricultura e comércio

O município de Mussende tem sete cooperativas e 44 associações de camponeses. É forte em agro-pecuária, possuindo terras férteis para o cultivo de o milho, feijão, ginguba, mandioca e banana.
A produtividade é baixa porque faltam apoios técnicos, sementes melhoradas, fertilizantes, pesticidas e instrumentos de trabalho, como enxadas, catanas e charruas.
Quanto ao comércio, o sector carece de mais operadores, mas a reabilitação da estrada vai inverter o actual quadro, antevê a administradora do município, Joaquina Gabriel.Os sistemas de água e de corrente eléctrica não funcionam há muito tempo. Por esta situação, os habitantes ainda são obrigados a percorrer grandes distâncias para obter água para consumo.

Zona de turismo

O município de Mussende é rico em áreas turísticas, mas a degradação das vias de acesso está a adiar, cada ano que passa, projectos de empresários nacionais e estrangeiros ligados ao ramo.
O Jornal de Angola apurou junto da Administração Municipal de Mussende que existem inúmeras zonas turísticas em estado de abandono, com destaque para o Porto Condo e Sete Ilhas, no rio Kwanza, além das cascatas do rio Gango, Kanguele, foz dos rios Tchamussole e Luande.

Tempo

Multimédia