Províncias

Mercado de trabalho local foi reforçado com mestres

Victor Pedro | Sumbe

Cerca de 2.642 jovens de vários estratos sociais receberam formação técnico-profissional nas especialidades de corte e costura, informática, electricidade auto e média, mecânica, alvenaria, culinária, construção civil, frio e canalização, em cursos promovidos pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP) na província do Cuanza Sul.

Centenas de jovens receberam formação
Fotografia: Víctor Pedro | Sumbe

O chefe dos serviços provinciais do INEFOP, Ambriz Quissube Umbonde, disse que pretende-se aumentar a capacidade das estruturas que albergam os ciclos formativos, para fazer face à procura.
Ambriz  Quissube Umbonde disse que o INEFOP debate-se com várias dificuldades, como a falta de meios rolantes, recursos humanos qualificados, novos cursos e centros de emprego para facilitar o enquadramento dos formandos.
O INEFOP controla um centro de formação, três pavilhões de artes e ofícios, quatro centros móveis e duas unidades itinerantes, além dos nove centros privados distribuídos a nível da província do Cuanza Sul.
Acrescentou que durante o arranque do ciclo formativo do corrente ano, no quadro do programa de diversificação, foi incluído no currículo formativo o curso de decoração e arte.
O responsável do INEFOP no Cuanza Sul fez saber que unidades itinerantes que serviam de centros provisórios em alguns municípios, devido à procura, vão passar a centros de carácter definitivo e poderão ter maior capacidade de absorção em termos de número de formandos. O ciclo formativo em curso começou no passado mês de Março. Foram matriculados 810 formandos em diversas especialidades técnico-profissional.

Centro do empreendedor

A província do Cuanza Sul tem três Centros de Empreendedorismo e Serviços de Emprego (CLESE), nos municípios do Sumbe, Porto Amboim e Amboim, segundo Ambriz Quissube Umbonde.
O CLESE, recordou, está a dotar os jovens de conhecimentos básicos em consultoria empresarial, tomada de decisão na criação do negócio, capacitação empresarial, assessoria jurídica, desenvolvimento de conteúdos programáticos sobre empreendedorismo, apoio aos empreendedores nas actividades de acesso ao mercado, prestação de serviços bancários, parcerias institucionais e disseminação da cultura de mpreendedorismo.
Foram já capacitados 85 empreendedores, dos 159 jovens que aderiram ao centro do empreendedor no Sumbe. Para este ciclo formativo o centro conta com 13 formandos a frequentar cursos sobre empreendedorismo.

Tempo

Multimédia