Províncias

Milhares de partos no Sumbe

Victor Pedro | Sumbe

A Maternidade provincial do Cuanza Sul, no Sumbe, atendeu, desde o início do ano até Maio, 7.653 mulheres nas especialidades de neonatologia, ginecologia e obstetrícia, afirmou na sexta-feira o director administrativo da unidade hospitalar.

Autoridades garantem estarem criadas as condições para a realização de partos seguros
Fotografia: Arquivo JA

Augusto Calile referiu que durante este período a maternidade efectuou 1.178  partos normais, 29 de risco por ventosa e 472 cesarianas.
A instituição registou, durante o período em balanço, três casos de mortes de adolescentes com gravidezes precoces, menos dez que em igual período do ano passado.
“Esta redução é fruto dos esforços que a instituição tem vindo a desenvolver, através da melhoria das condições de trabalho e aumento dos níveis de qualidade do atendimento médico e medicamentoso das pacientes, além do esclarecimento das famílias quanto aos cuidados a ter com as parturientes, durante o período de gestação”, frisou. A instituição debata-se com várias dificuldades, que contribuem, de certa forma, para a pouca qualidade dos seus serviços prestados, salientou Augusto Calile.
Em primeiro lugar referiu a pouca capacidade de internamento, fruto do êxodo que se verifica nos últimos tempos, e a falta de mais técnicos para responder à procura.
Actualmente, a instituição conta com 196 quadros, entre nacionais e estrangeiros, dos quais dez médicos, seis enfermeiros no serviço materno-infantil, dois técnicos especializados, 28 técnicos de enfermagem, 45 auxiliares, 12 técnicos de diagnóstico e terapêutico, 17 administrativos e 76 funcionários de apoio.
Outra preocupação apontada pelo director administrativo da Maternidade do Cuanza Sul é a falta de meios de transporte, sobretudo ambulâncias, para atender casos de transferências urgentes para os hospitais de referência no Sumbe ou na capital do país. 

Tempo

Multimédia