Províncias

Milhares de professores formados no Kwanza-Sul

Manuel Tomás| Sumbe

 
Mais de 3.500 técnicos médios foram formados pela Escola de Formação de Professores (EFP) do Kwanza-Sul, desde a fundação da instituição, em Maio de 1979, revelou, sexta-feira, o seu director-geral.
Francisco Figueiredo Júnior disse que a maioria deles estão colocados e que neste ano lectivo há 2.462 formandos, 1.239 deles do sexo feminino.

Mais de 3.500 técnicos médios foram formados pela Escola de Formação de Professores (EFP) do Kwanza-Sul, desde a fundação da instituição, em Maio de 1979, revelou, sexta-feira, o seu director-geral.
Francisco Figueiredo Júnior disse que a maioria deles estão colocados e que neste ano lectivo há 2.462 formandos, 1.239 deles do sexo feminino.
Em regime experimental começou, este ano, a opção pré-escolar, com uma turma composta por 40 alunos, revelou, acrescentando que a escola necessita de mais 25 professores para as áreas de educação física, química, biologia, línguas portuguesa e inglesa e em práticas pedagógicas.
Para suprir esta lacuna, a direcção da escola optou por recrutar colaboradores, disse, lamentando que haja dificuldades no pagamento pontual dos subsídios destes profissionais.
O assunto, garantiu, que já foi remetido à consideração das estruturas superiores.
A EFP do Kwanza-Sul ministra cursos de língua portuguesa, bioquímica, geo-história e matemática-física, cujas aulas, no Sumbe, são asseguradas por 86 docentes, dos quais 53 licenciados e 11 bacharéis.

Formação de professores

O director-geral da EFP disse que a escola prevê promover uma jornada de reflexão sobre a problemática da formação de professores em Angola, tendo em vista a melhoria da qualidade da formação dos docentes do ensino primário e do primeiro ciclo. A instituição está, desde o ano passado, a complementar e a aperfeiçoar a formação de supervisores, uma acção que se vai estender até 2011.
O responsável anunciou que, desde Julho de 2006, no quadro da reforma educativa, funciona na província, em regime experimental, o programa” Escola na rádio”, enquadrado no programa de ensino à distância, com objectivo de preparar professores do ensino primário das zonas rurais.
A Escola de Formação de Professores dispõe de 23 salas de aulas, quatro laboratórios de informática e um anfiteatro.
Francisco Júnior disse, ao Jornal de Angola, que lamenta que a escola não tenha ginásio e áreas para a prática de música e de educação plástica.  A biblioteca, referiu, funciona num local inadequado, mas em termos de materiais didácticos e de bibliografia está bem servida por dispor de programas que fazem parte dos currículos dos cursos ministrados na escola.
A EFP tem, desde 2000, uma representação no município de Waku Kungo. Nos últimos oito anos formou professores nas áreas de matemática-física, biologia-química e história-geografia. Neste ano lectivo, na opção magistério primário, estão matriculados 520 alunos.
A escola também funciona no Magistério Primário de Porto Amboim, onde leccionam 24 professores. Este ano lectivo tem 102 finalistas a estagiar em algumas escolas do município.

Tempo

Multimédia