Províncias

Missionários portugueses ofereceram uma moageira

Manuel Tomás | Sumbe

Gungo, Kwanza-Sul, tem, desde ontem, uma moageira baptizada com o nome de “Olomena olemena”, expressão umbundu, que em português significa grão a grão, oferecida por missionários de Leiria, Portugal, que vivem naquela comunidade.

Governador entregou fardos de roupa para as crianças e rádios às autoridades tradicionais para serem distribuídos à população
Fotografia: Fernando Camilo

Gungo, Kwanza-Sul, tem, desde ontem, uma moageira baptizada com o nome de “Olomena olemena”, expressão umbundu, que em português significa grão a grão, oferecida por missionários de Leiria, Portugal, que vivem naquela comunidade.
A moageira, com capacidade de triturar entre 200 e 300 quilos de milho por hora, foi adquirida com contribuições da comunidade, do projecto “grão a grão” realizado este ano em Leiria, e do empresário Coutinho Duarte.
O padre David Nogueira, da Missão Católica de S. José do Gungo, disse que o projecto da instalação da moageira “surgiu para diminuir o sofrimento das mulheres quando moem o milho ou o bombó na pedra, o que lhes provoca doenças, principalmente depois dos 40 anos, devido aos movimentos constantes”.O projecto incluiu a formação de nove jovens sobre técnicas de construção de moageiras.
A Missão Católica de S. José do Gungo, disse David Nogeueira, está a formar “líderes comunitários” para nas áreas de residência sensibilizarem as pessoas sobre a importância da prevenção de doenças mortes materno-infantis.

Governador entrega bens

O governador do Kwanza-Sul, que assistiu à cerimónia da entrega da moageira, agradeceu a oferta dos padres da Missão de São José e pediu aos empresários que invistam no Gungo.
Serafim do Prado falou da reabilitação que está a ser feita do troço entre Eval Guerra e a sede comunal, numa extensão de 35 quilómetros, cujas obras estão concluídas dentro de 180 dias.Devido à degradação daquele troço, referiu, muitos projectos ficaram por executar, como o da construção de um centro materno-infantil, no Eval Guerra, e de um de captação e tratamento da água, no bairro da Pedra.
Serafim do Prado declarou que o centro materno-infantil está a ser erguido no Eval Guerra e que o sistema de água foi transferido para o bairro da Pedra Uma, arredores do Sumbe.
O governador entregou fardos de roupas para crianças, bicicletas e rádios às autoridades tradicionais para serem distribuídas à população.
A mulher do governador, em representação da Casa Príncipe, entregou fraldas descartáveis e peças de roupa para a criança que, de ceto modo, vai minimizar as dificildades.
A Casa Príncipe ofereceu uma viatura à Missão Católica de São José do Gungo.

Tempo

Multimédia