Províncias

Município da Cela quer apostar no sector turístico

Casimiro José | Wako Kungo

O administrador municipal da Cela, Isaías Bumba Luciano, pediu ontem, no Wako Kungo, Kwanza-Sul, aos investidores ligados ao sector do turismo que desenvolvam acções de restauro dos locais turísticos espalhados pelo município, para o seu aproveitamento.

Administrador municipal da Cela
Fotografia: Casimiro José | Wako Kungo

O administrador municipal da Cela, Isaías Bumba Luciano, pediu ontem, no Wako Kungo, Kwanza-Sul, aos investidores ligados ao sector do turismo que desenvolvam acções de restauro dos locais turísticos espalhados pelo município, para o seu aproveitamento, proporcionando aos munícipes e a todos que para lá se deslocam um ambiente de lazer.
Para Isaías Bumba Luciano, a revitalização do sector turístico pode trazer inúmeros benefícios, não só do ponto de vista de ocupação dos tempos livres, mas também na criação de emprego para os habitantes da região, sobretudo dos jovens, sublinhando que “o município da Cela é o destino de muitos turistas nacionais e estrangeiros, o que submete o executivo municipal a enormes responsabilidades para criar condições, em parceria com o sector privado, para o restauro de locais de atracção turística”.
O administrador considera que a exploração das potencialidades turísticas deve estar entre prioridades do programa para os próximos tempos, tendo em conta os rendimentos que daí podem advir, nas vertentes social e económica. “Temos potencialidades turísticas no nosso município mas, por falta de investimentos, estão quase em estado de abandono, sem o seu real aproveitamento por parte dos munícipes e, com isso, perdemos muitas receitas e a oportunidades de empregos para os jovens”, frisou. O administrador municipal da Cela citou como exemplos de locais turísticos que necessitam de reabilitação urgente, a Fazenda Kungo Agrícola, o Miradouro da Cidade (Morro Waku), o Centro de Emissores da TPA e da RNA, a Capela do Monsanto na Aldeia nº 6 e o Lago dos hipopótamos.

Projectos sociais

No quadro do programa integrado de desenvolvimento rural e de combate à pobreza, ao qual se acrescentou, no presente ano, o de melhoria da qualidade e equidade dos serviços de saúde, teve início a execução de várias acções. Entre elas, destacam-se a melhoria das condições físicas das infra-estruturas sanitárias (centros e postos de saúde), a aquisição e distribuição de medicamentos essenciais, de bens alimentares, de combustível, material de consumo corrente de escritório e outros meios para os postos e centros de saúde, além do arranque de diversas obras de âmbito social, tornando mais dinâmico e visível o seu impacto junto das populações.
Do leque de acções programadas para o presente ano constam a vedação da escola primária do Bairro Certeza, a construção da rede eléctrica da sede comunal da Sanga, a reabilitação dos fontanários dos Bairros Kitundo e Cassamba e a reabilitação paliativa da vala de drenagem das águas pluviais.
A pintura de fachadas exteriores dos principais edifícios da cidade, reabilitação do parque infantil, terraplanagem do troço Comando Municipal da Polícia Nacional/Escola Maria da Silva Neto/Rua de Cuba, reabilitação da rede de água da sede comunal da Kissanga Kungo e a construção e apetrechamento do centro de saúde na sede da comuna da Sanga, constam igualmente entre as acções agendadas.
O programa de construção e reabilitação de infra-estruturas sociais contempla, também, a reabilitação, ampliação e apetrechamento do posto de saúde do Cassosso, continuidade do programa “Crédito Agrícola de Campanha”, que já beneficiou, desde o seu arranque, 365 famílias camponeses, com mais de 89 milhões de kwanzas. Ainda no âmbito do Programa de Investimentos Públicos foi concluída a obra de construção do mercado municipal do Waku Kungo, que aguarda pelo apetrechamento, abertura das vias de acesso e criação de espaços de estacionamento, para posterior inauguração e entrega à comunidade local.
O projecto de reabilitação da rede de distribuição de água da cidade do Waku Kungo vai ser implementado, em breve, pelo Ministério de Energia e Águas.
Vários outros projectos estão em carteira, mormente nos domínios da educação, obras públicas (vias de acesso), segurança social e comunicação social
Os sectores da saúde e da educação estão a evoluir significativamente, disponibilizando regularmente serviços aos habitantes. Assim, no domínio da Saúde, continuam as obras de reabilitação e ampliação do Hospital Municipal. A rede sanitária pública é composta por três centros e 25 postos de saúde, distribuídos em toda a extensão do município.
A participação do sector privado no domínio da saúde é ainda incipiente, contando-se com apenas um centro médico, sete postos de enfermagem e 20 farmácias, para uma procura consideravelmente grande.
Outro ganho do município da Cela foi a abertura do curso médio de saúde, adstrito ao Instituto Médio de Saúde de Benguela, cujas aulas já começaram, com 179 formandos.
No presente ano lectivo foram matriculados 42.110 alunos, contra 41.236 do ano lectivo transacto.
O corpo docente da localidade é constituído por 1.306 professores.

Tempo

Multimédia