Províncias

Município da Quilenda com falta de professores

Manuel Tomás | Sumbe

O município da Quilenda precisa de mais de 150 professores nos diferentes subsistemas de ensino, disse, na terça-feira o chefe de repartição municipal da Educação.

O município da Quilenda precisa de mais de 150 professores nos diferentes subsistemas de ensino, disse, na terça-feira o chefe de repartição municipal da Educação.
Manuel da Cruz afirmou que o município dispõe apenas 649 professores, mas que, apesar disso, as escolas continuam a funcionar.
Este ano lectivo foram matriculados 17.210 alunos, 12.668 dos quais no ensino primário.
Para atenuar o problema da falta de professores foi realizado, recentemente, um concurso público na circunscrição, que permitiu a entrada de 13 professores primários, oito deles para o primeiro ciclo.
Estes números, declarou Manuel da Cruz, são insuficientes para os mais de 8.500 alunos que se encontram, ainda, fora do sistema de ensino. O município da Quilenda tem 43 escolas, 39 delas de construção provisória. Quanto ao processo de alfabetização e aceleração escolar, disse, estão inscritos 1.648 alunos e no ensino de adultos, 1.401. Ao todo, há 25 alfabetizadores remunerados, 18 dos quais considerados voluntários. O município da Quilenda tem cerca de 99.200 habitantes, que vivem maioritariamente na área rural.

Tempo

Multimédia