Províncias

Município tem falta de técnicos de saúde

Carlos Bastos | Sumbe

O município de Seles tem falta de técnicos para a rede sanitária funcionar em pleno, afirmou o chefe de repartição de Saúde.

Aumento da população no Seles exige a integração de mais médicos e enfermeiros
Fotografia: Jornal de Angola

Genito Michel disse que devido à falta de técnicos “os serviços são prejudicados e chegam com grandes dificuldades a muitas localidades do município”.
O número de habitantes no município, declarou, tem crescido consideravelmente o que exige que os serviços e o número de técnicos sejam aumentados.
 Genito Michel referiu serem necessários seis médicos, 153 enfermeiros e 20 técnicos de diagnóstico e terapêutica para preencherem as vagas nas unidades sanitárias.
O município de Seles tem 31 unidades sanitárias, sete médicos, especialistas em ginecologia, obstetrícia, cirurgia, pediatria, clínica geral e anestesia, que são auxiliados por 86 enfermeiros.
No âmbito do Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde, recordou, foram construídos recentemente seis postos de saúde, que são inaugurados em Novembro. O chefe da repartição salientou a importância da formação de quadros para se poder melhorar o funcionamento do sector e de se criarem mais oportunidades para técnicos frequentarem a Escola Técnica de Enfermagem e o Instituto Superior Politécnico do Sumbe. O município do Seles tem 120 mil habitantes em 16 bairros, 248 aldeias e 19 povoações.

Tempo

Multimédia