Províncias

Mussende à espera de mais investimentos

Casimiro José | Mussende

A administradora municipal de Mussende, na província do Cuanza Sul, Joaquina Gabriel, está preocupada com a falta de um médico obstetra porque existe um grande número de mulheres sem acesso a esta especialidade no único centro de saúde da vila. A solução tem sido transferir os casos mais urgentes para os hospitais da província.

A falta de um especialista em obstetrícia faz com que os casos mais graves sejam transferidos para os hospitais da província
Fotografia: Dombele Bernardo

“Os serviços de obstetrícia são constantemente procurados por mulheres, mas por não possuirmos um médico desta especialidade recorremos às transferências para outros hospitais da província, com enormes transtornos, sobretudo dos familiares das pacientes”, disse.
A administradora de Mussende revelou que o município conta apenas com dois médicos que a­tendem as áreas de medicina geral e pediatria, um número insignificante, já que os dois têm garantir assistência médica na comuna de São Lucas, que também tem uma população elevada.
A administradora Joaquina Gabriel garantiu que, para o corrente ano, vão ser executadas acções viradas para a construção de equipamentos sociais. Entre as acções previstas destacam-se a construção de oito salas anexas às escolas dos bairros Cassequel e Augusto Ngangula, a construção de dois mercados rurais, sendo um para a comuna de São Lucas e outro no Quilómetro 40, construção de chafarizes na sede municipal e no Quilómetro 40, além da abertura de furos artesianos no meio rural.
Joaquina Gabriel referiu que estão praticamente concluídas as obras de reabilitação da estrada que liga ao município da Quibala, o que abre-se novas perspectivas de desenvolvimento das iniciativas empresariais. “Num passado recente, tivemos como grande obstáculo a principal via de acesso, mas o cenário actual garante-nos optimismo, porque faltam apenas 40 quilómetros para a conclusão da estrada, por isso já não pode haver receio em investir no nosso município”, frisou Joaquina Gabriel.

Mais investimentos

A administradora municipal de Mussende, Joaquina Gabriel, convida os empresários nacionais e estrangeiros a investirem no município, para gerarem bens e serviços que satisfaçam as necessidades das populações da região, ao mesmo tempo que criam emprego, a única forma de ficar os jovens no município.
A administradora de Mussende considerou de insuficientes os investimentos privados no município e apontou a instalação de uma a­gência do Banco de Investimento e Crédito (BIC) de uma bomba de combustível da Pumangol como sendo os únicos investimentos feitos na região.
O município de Mussende possui inúmeras potencialidades para investimentos, no sector mineiro, na agro-pecuária, na prestação de serviços e no turismo.
A grande contrariedade que dificulta o desenvolvimento do município tem a ver com a falta de energia eléctrica. A administradora considera ser urgente que as estruturas centrais contemplem o município com um projecto que reverta a actual situação.  Outra condicionante ao desenvolvimento do município do Mussende prende-se com o estado avançado de degradação das estradas secundárias e terciárias, que dificultam as trocas comerciais entre as zonas produtivas e a vila de Mussende, além do escoamento dos produtos do campo.
A administradora Joaquina Gabriel está optimista e garante que os resultados alcançados até agora são promissores, para, no futuro, com o trabalho de todos, o município se guindar a altos patamares de crescimento. Com uma superfície de 9.556 quilómetros quadrados, o município tem  84.205 habitantes, distribuídos pelas comunas sede, São Lucas e Quienha.

Tempo

Multimédia