Províncias

Novas infra-estruturas em construção na comuna

Casimiro José | Conda

A comuna do Cunjo, a cerca de 36 quilómetros da sede do município da Conda, na província do Cuanza Sul, está a alcançar grandes níveis de desenvolvimento, com a aplicação de vários projectos sociais, no quadro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.

A partir do próximo ano lectivo centenas de crianças passam a ter acesso ao ensino com a construção de mais escolas
Fotografia: Casimiro José | Conda

Na localidade está a ser reabilitada a principal estrada que liga a sede do município ao resto da província. As autoridades locais  aguardam com expectativa o fim das obras para que possam traçar metas e programas consistentes que visam melhorar a vida dos habitantes.
A chuva que cai insistentemente na região tem criados sérios transtornos à empresa encarregue da reabilitação da via.
O Jornal de Angola apurou que a obra foi interrompida em função das enxurradas, mas ainda assim, homens e máquinas continuam no terreno para darem, a qualquer momento, continuidade à empreitada.
O administrador da circunscrição, César Armando Dinis, disse ao Jornal de Angola que grandes investidores recusam dar o seu contributo para o desenvolvimento da região, devido ao estado em que se encontra a via.
“O estado em que se encontra a estrada e a chuva que cai intensamente na região dificultam a circulação de pessoas e bens. Os empresários sentem-se desencorajados a investir na comuna.
Temos a certeza que as obras na via vão continuar, apesar do interregno em função do mau tempo”, disse.
A região é potencialmente rica em agro-pecuária e minerais, mas os recursos não são devidamente explorados por existirem dificuldades no acesso e a população camponesa é a que mais se ressente. O administrador está esperançado e acredita em dias melhores, tendo em conta os vários programas em curso que visam melhorar a condição de vida das populações.
Na comuna do Cunjo, são necessárias instalações próprias e residências para o administrador e outras infra-estruturas. Para o desenvolvimento da região são necessários mais investimentos no sector  público e privado. O administrador apela no sentido dos investidores contribuírem para o desenvolvimento da circunscrição.

Projectos sociais

O administrador do Cunje, César Armando Dinis, considerou o Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza como um ganho, com a construção de várias infra-estruturas sociais, como a construção de 20 casas evolutivas, centro de saúde e uma escola do ensino primário com quatro salas, ambos na sede da comuna, e um posto de saúde, no bairro Limba.
O programa “Água para Todos” beneficia a sede comunal e as comunidades de Cunjo, Dengue, Assango I e Honga.
A comuna do Cunjo possui uma rede sanitária composta por um centro médico, com 15 camas, e cinco postos de saúde, com nove enfermeiros, número  considerado insuficiente para dar resposta às várias solicitações.
A rede escolar na comuna do Cunjo está muito aquém das expectativas. Na localidade existem apenas cinco escolas, sendo duas de construção definitiva.
Na  comuna  as aulas são asseguradas por 78 professores.
Frequentam no presente ano lectivo 2.687 alunos do ensino primário e 143 alunos do I Ciclo.
Na comuna estão a ser erguidas a sede administrativa, residência protocolar, além de outras infra-estruturas sociais, assim como a reabilitação de estradas secundárias e terciárias para garantir a livre circulação de pessoas e bens.
Com uma superfície de 585 quilómetros quadrados, a comuna do Cunjo, no Cuanza Sul,  possui uma população estimada em cerca de 17.455 habitantes, repartidos por 29 bairros.

Tempo

Multimédia