Províncias

Novo bloco operatório no hospital municipal

Manuel Tomás| Seles

Um novo bloco operatório equipado com tecnologia de ponta no hospital municipal do Seles, província do Kwanza-Sul, já permitiu efectuar com sucesso 15 cesarianas, cinco operações a hérnias e pequenas intervenções cirúrgicas.

Autoridades apostam na expansão dos serviços de saúde para baixar os índices de mortalidade
Fotografia: Jornal de Angola

Um novo bloco operatório equipado com tecnologia de ponta no hospital municipal do Seles, província do Kwanza-Sul, já permitiu efectuar com sucesso 15 cesarianas, cinco operações a hérnias e pequenas intervenções cirúrgicas.
Segundo o director do hospital, Vasco Júnior, a abertura desta área é um valor acrescentado, não só para o Seles, mas também para outros municípios, por permitir reduzir a transferência de pacientes para o hospital provincial do Sumbe.
Além do bloco operatório, o hospital do Seles, com capacidade para 54 camas, tem disponíveis as áreas de laboratório de análises clínicas, RX, medicina, pediatria, sala para partos e banco de urgência.
No entanto, Vasco Domingos está preocupado com a falta de um médico ortopedista, devido aos frequentes acidentes de viação que ocorrem na região, e também com a fraca capacidade de internamento do hospital municipal do Seles, o que leva à necessidade de ter de pôr doentes nos corredores.
 “Isso contrasta com as regras mais elementares da saúde”, disse o médico, que defende a ampliação ou construção de um novo hospital para corresponder à procura.
O município do Seles tem 23 unidades de saúde, entre as quais um centro de referência e um hospital, nas quais prestam serviço cinco médicos de várias nacionalidades e 35 enfermeiros de vários escalões, número considerado insuficiente para uma melhor cobertura sanitária da circunscrição.
Vasco Júnior defendeu, por isso, o ingresso de pelo menos mais 200 novos enfermeiros para cumprir o pacote essencial dos cuidados primários de saúde.

Tempo

Multimédia