Províncias

Oficina móvel de formação profissional dá competências a dezenas de estudantes

Casimiro José| Sumbe

A oficina móvel do Sumbe, na província do Kwanza-Sul, concluiu sábado cursos que foram frequentados por 85 jovens e adultos, de ambos sexos, nas especialidades de pastelaria e corte, através do projecto “Esta é a Tua Vez”, enquadrado no programa cidadania e emprego, do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social.

Dezenas de jovens e adultos receberam os certificados dos cursos de formação que agora lhes permite arranjar um emprego digno
Fotografia: Fernando Camilo | Sumbe

 
A oficina móvel do Sumbe, na província do Kwanza-Sul, concluiu sábado cursos que foram frequentados por 85 jovens e adultos, de ambos sexos, nas especialidades de pastelaria e corte, através do projecto “Esta é a Tua Vez”, enquadrado no programa cidadania e emprego, do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social.
Os cursos profissionais foram ministrados por quatro formadores e incidiram nas componentes teóricas e práticas. Inicialmente estavam inscritos 123 alunos e ao longo da formação houve 29 desistências, nove ficaram reprovados e a taxa de aproveitamento foi na ordem de 69,10 por cento.
A chefe do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Mariana dos Santos, considerou os cursos importantes já que permitem inserir os jovens e adultos no mercado do trabalho, munidos de competências técnicas.
“As oportunidades de emprego começam na formação profissional em diversas áreas”, disse Mariana dos Santos, que pediu os jovens e adultos da região para se inscreverem nas próximas sessões de formação na oficina móvel.
Os finalistas manifestaram a sua alegria ao adquirirem uma profissão que os habilita a concorrer a um emprego e, ao mesmo tempo, encontrarem os mecanismos para gerar rendimentos. “Manifestamos a nossa gratidão pelo empenho da direcção do centro e dos formadores que tornaram possível a nossa formação. Com os conhecimentos adquiridos estamos aptos em participar nas tarefas de reconstrução do nosso país”, disseram os finalistas numa mensagem divulgada durante a cerimónia.
O administrador do município do Sumbe, Sebastião Daniel Neto, afirmou que a formação profissional permite mais oportunidades de inserção na vida produtiva.
A juventude, disse, é a maior franja da sociedade angolana que está no desemprego, sendo a ­formação uma saída para que estejam munidos com as ferramentas e competências que permitem concorrer ao mercado de trabalho.
A competitividade do mercado de trabalho actual exige, disse Sebastião Neto, uma formação adequada nas diversas especialidades pelo que os recém-formados devem ser empreendedores. 
Vicente Kupata, 74 anos, inscreveu-se no curso de corte e-costura e disse estar satisfeito, porque vai exercer a profissão com conhecimentos técnicos. Reformado da educação, Vicente Kupata sentiu necessidade de exercer uma profissão para que os seus rendimentos da pensão de reforma e da nova profissão consigam satisfazer as necessidades da família.“Ainda tenho forças para me dedicar a uma tarefa e, por isso, pensei adquirir uma profissão para aumentar os meus rendimentos que possam dar resposta às necessidades da minha família”, disse o novo profissional de corte e costura.

Tempo

Multimédia