Províncias

Papel de organização dinamarquesa elogiado na província do Kwanza-Sul

Casimiro José | Sumbe

O director provincial de Educação, Ciência e Tecnologia agradeceu, ontem, no Sumbe, à Organização Não-Governamental Íbis por, em dez anos de actividade no Kwanza-Sul, ter construído dez na Quibala e outra no concelho sede.

As comissões de pais e encarregados de educação ganharam um novo fôlego
Fotografia: Casimiro José

O director provincial de Educação, Ciência e Tecnologia agradeceu, ontem, no Sumbe, à Organização Não-Governamental Íbis por, em dez anos de actividade no Kwanza-Sul, ter construído dez na Quibala e outra no concelho sede.
Pedro Veríssimo, que fez o agradecimento numa cerimónia pública, que assinalou o encerramento oficial das actividades daquela ONG em Angola, lembrou que a construção das escolas permitiu inserir mais crianças no sistema do ensino e criar 11 bibliotecas nos municípios do Sumbe, Quibala e Mussende.
Além disso, enalteceu o papel da Íbis, com a execução de programas de desenvolvimento escolar participativo e do projecto de educação de emergência.
Outro êxito no sector da Educação resultante da intervenção da ONG no Kwanza-Sul, frisou, prende-se com a criação de cinco Zonas de Influência Pedagógica (ZIPS) nos municípios do Sumbe e do Mussende.
A criação das cinco ZIPS permite a actualização dos conhecimentos académicos dos professores primários, até ao nível médio, através do ensino à distância.
Com um papel relevante da família no processo de ensino e aprendizagem, disse Pedro Veríssimo, as comissões de pais e encarregados de educação ganharam um novo fôlego, graças à intervenção da Organização  Íbis.
No total, foram constituídas e dinamizadas 62 comissões de pais e de encarregados de educação no município da Quibala,no Kwanza-Sul, 26 no Mussende e 18 na província de Benguela.
 A presidente do conselho de direcção da ONG na Dinamarca, Mette Moller, afirmou que as experiências colhidas em Angola, a nível da educação, tiveram reflexos positivos noutros países, como em Moçambique e na Serra Leoa.  A vice-governadora para o sector político e social referiu que a intervenção da Íbis no Kwanza-Sul, pelos resultados alcançados, se enquadra na resolução número nove do Conselho de Ministros sobre o desenvolvimento do milénio.
Fernanda de Almeida reiterou o compromisso de as boas experiências servirem de guia de acção para tarefas programáticas para o sector de Educação ao nível da província do  Kwanza-Sul.

Tempo

Multimédia