Províncias

Parteiras tradicionais são formadas no Sumbe

Victor Pedro | Sumbe

Parteiras tradicionais do Cuanza Sul foram, desde quarta-feira até ontem, capacitadas na cidade do Sumbe em matéria de registo de nascimento, no quadro do projecto “Nascer com registo”.

Parteiras tradicionais vão ter também a missão de sensibilizar as famílias nas comunidades sobre a importância do registo de nascimento
Fotografia: Fernando Camilo | Edições Novembro

A iniciativa é dos sectores da Justiça e da Saúde e da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher.  
O administrador municipal do Sumbe, Manuel de Nascimento Rosa da Silva, considerou oportuna a realização da formação, que surge para pôr fim a um dos grandes problemas que afectam a sociedade a nível do país e considera urgente a resolução deste problema, por forma a se reduzir o número de crianças que nascem sem registo e cuidados.
Manuel de Nascimento Rosa da Silva sublinhou que, com esta iniciativa, o Executivo pretende potenciar as parteiras tradicionais para melhor atenderem as parturientes e sensibilizá-las sobre a importância do registo.
Defendeu que a ideia é contribuir para a busca de soluções para esta problemática, que acaba por afectar o próprio cidadão e acarretar custos para o Estado.
O programa consiste, numa primeira instância, em capacitar as parteiras tradicionais em matéria de registo de nascimento, para, posteriormente, sensibilizar as famílias das zonas rurais e não só a promoverem o direito da criança ao registo, maternidade e paternidade responsável. Também visa incentivar os pais sobre a importância da escolha do nome a atribuir aos filhos antes do seu nascimento.
Pretende-se com a iniciativa estimular as famílias a registarem as crianças logo após o nascimento, com ênfase nas maternidades, incluindo as mães solteiras, mesmo na ausência dos pais, no caso de fuga à paternidade. No seminário, estiveram em debate temas como pré-natal, assistência ao parto, cuidados com o recém-nascido, amamentação e vacinação, além dos cuidados no pós-parto.
Estiveram também em análise assuntos relacionados com a importância do registo de nascimento, como obter um registo, papel das parteiras tradicionais, comunicação interpessoal e actividades práticas. O projecto-piloto lançado pela Direcção Nacional para Políticas Familiares do Ministério da Família e Promoção da Mulher entender-se-á até Maio, dando formação e treinamento a 600 parteiras tradicionais das seis províncias seleccionadas: Moxico, Bié, Uíge, Huíla, Malanje e Cuanza Sul.
Em cada província, foram seleccionados apenas dois municípios. No Cuanza Sul, beneficiam da formação parteiras do Sumbe e de Amboim.

Tempo

Multimédia