Províncias

Pavilhões de artes e ofícios dão formação a vários jovens

Manuel Tomás| Sumbe

Jovens no Cuanza Sul são formados este ano em artes e ofícios pelo Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP), através dos centros profissionais, pavilhões, unidades de formação e nos centros móveis em funcionamento nos vários municípios da província, informou o responsável da instituição.

Ambriz Quissube Umbonde informou que que os cursos, com duração de seis meses, e que contemplam mais de dois mil jovens da província, começam em Março nos municípios do Sumbe, Amboim, Conda, Libolo, Cela e Quibala.
Para o efeito, estão abertas inscrições nos centros para candidatos que reúnam os requisitos exigidos para a sua formação profissional. No ano passado, os centros formaram várias pessoas nas especialidades de electricidade, carpintaria, alvenaria, serralharia e mecânica auto.  INEFOP controla actualmente 993 mil quadros formados o ano passado nos centros de formação profissional públicos e privados.
O centro de formação do Cuacra, único de nível dois na província, é vocacionado para formar jovens que ingressam com idade mínima de16 anos e com habilitações literárias, a partir da 6ª classe. Os candidatos são recrutados através das respectivas Administrações Municipais. O centro acolhe aprendizes em regime de internato e externos.
O chefe do INEFOP disse que os centros de formação privados formaram o ano passado 979 candidatos, dos 1.554 matriculados, tendo acrescentado que 447 indivíduos inscritos prosseguem a sua formação, visto que o sector privado não obedece ao calendário em curso no sistema nacional de formação profissional público.
O INEFOP controla igualmente os pavilhões de formação em artes e ofícios de nível um, que não obedece a um critério rigoroso, ou seja, no acto de matrícula ao candidato não é exigido o certificado de habilitações literárias.
Para atender o sistema de formação profissional, o chefe do INEFOP disse que a instituição também dispõe de unidades de formação itinerantes nos municípios da Cela e Quibala, criadas após o fim do conflito armado, com o propósito de formar ex-militares em artes e ofícios.
O INEFOP também tem sob seu controlo 400 móveis, que guardam ferramentas para formar jovens nas áreas de culinária, pastelaria, corte e costura.

Tempo

Multimédia