Províncias

Peste suína dizima gado

Victor Pedro |Sumbe

Mais de quatro mil suínos morreram no projecto “Aldeia Nova”, durante o ano passado, como consequência da contaminação da peste suína africana.

Milhares de animais foram vacinados
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de quatro mil suínos morreram no projecto “Aldeia Nova”, durante o ano passado, como consequência da contaminação da peste suína africana.
A informação foi prestada na semana finda, no Sumbe, província do Kwanza-Sul, pelo chefe do departamento provincial dos serviços de veterinária, José Sácumula.
Segundo José Sácumula, o departamento diagnosticou doenças como a dermatofilose, peripeneumonia contagiosa bovina e o carbúnculo sintomático, que afectaram o gado bovino.  
O chefe dos serviços de veterinária na província disse que o departamento carece de técnicos para as campanhas de imunização. José Sácumula revelou que o seu departamento apenas conta com 19 técnicos dos 49 previstos.
O responsável fez saber que, no ano passado, foram vacinados 11.938 animais de estimação, dos 25 mil previstos, enquanto foram imunizados 50 mil bovinos, dos 90 mil previstos.
Para a campanha desse ano, a ter início em Maio próximo, prevê-se vacinar 50 mil cabeças de gado.
O Kwanza-Sul conta apenas com três talhos, distribuídos pelos municípios do Sumbe, Amboim (Gabela) e Cela (Waku-Kungo), o que leva muitos consumidores a optarem por mercados informais. Os produtos comercializados nos ­mercados informais a preços baixos não oferecem as mínimas condições higiénicas exigidas, adiantou o responsável.
José Sácumula referiu que a falta de apoio por parte da classe empresarial e das autoridades tradicionais na mobilização dos proprietários de animais para a sua adesão às campanhas de vacinação limita a actuação do seu departamento.
No ano passado, o departamento provincial de veterinária do Kwanza-Sul registou 382 casos de mordeduras, que resultaram em dois óbitos no município do Cassongue.

Tempo

Multimédia