Províncias

Pindo e Cazengo têm água potável

As comunas do Pindo e Cazengo, municípios do Sumbe e Porto Amboim, na província do Kwanza-Sul, contam, desde quarta-feira, com sistemas de captação, tratamento e distribuição de água, inaugurados no quadro das comemorações dos 35 anos da Independência.

Com a construção dos sistemas de captação e distribuição a população deixa de percorrer longas distâncias em busca de água
Fotografia: Jornal de Angola

As comunas do Pindo e Cazengo, municípios do Sumbe e Porto-Amboim, na província do Kwanza-Sul, contam, desde quarta-feira, com sistemas de captação, tratamento e distribuição de água, inaugurados no quadro das comemorações dos 35 anos da Independência Nacional, assinalados ontem.
O governador do Kwanza-Sul, Serafim Maria do Prado, disse, durante a inauguração, que o Governo tem vindo a envidar esforços no sentido de dar melhores condições às populações e que este acto vai, certamente, ajudar a diminuir as dificuldades das comunidades.
Serafim Maria do Prado acrescentou que estas inaugurações surgem numa altura em que o país está a comemorar os seus 35 anos de independência e o Executivo procura dar mais alegria aos angolanos.
 “O Governo não pode resolver todos os problemas de uma só vez, mas está atento às preocupações das população”, frisou Serafim do Prado.
Por sua vez, o soba Domingos Gonçalves agradeceu o gesto do Governo em prol da melhoria da vida das comunidades mais carenciadas e pediu à população que preserve os empreendimentos inaugurados, porque só assim ganharão outros de maior dimensão e que contribuirão para o crescimento das comunidades.
Presenciaram o acto membros do governo do Kwanza-Sul, administrações municipais de Porto Amboim e Sumbe, autoridades tradicionais e populares.
Os dois sistemas de tratamento e captação de água estão enquadrados no programa “Água para Todos”.

Reserva fundiária recebe redes técnicas

A reserva fundiária dos Ex-Carvalhos, que prevê 4.971 casas, no município do Sumbe (Kwanza-Sul), encontra-se em fase de instalação das redes técnicas de electricidade, telefone, água potável e esgotos,  informou o governador provincial.
Segundo Serafim do Prado, que usava da palavra na segunda-feira, durante a visita que a ministra da Comunicação Social, Carolina Cerqueira, efectuou à província, “terminado o processo de instalação de redes técnicas começará a distribuição dos espaços à população”.
Através da administração municipal serão distribuídos terrenos numa área de 900 metros quadrados para habitações de alta renda, 600 metros quadrados para média renda e 400 metros quadrados para autoconstrução dirigida. O programa de urbanização e habitação das reservas fundiárias prevê também a construção de hospitais e escolas para melhorar a assistência médica e inserir todas as crianças no ensino.

Tempo

Multimédia