Províncias

Potencial agro-pecuário da Cela em feira

Casimiro José | Wako-Kungo

O administrador municipal da Cela, Isaías Bumba Luciano, seus colaboradores e convidados constataram, sábado, no Wako Kungo, as potencialidades agro-pecuárias e industrial da Cela, numa feira promovida pelos produtores locais, no quadro da jornada comemorativa dos 40 anos da elevação de Wako Kungo à categoria de cidade, ontem assinalado.

O administrador municipal da Cela, Isaías Bumba Luciano, seus colaboradores e convidados constataram, sábado, no Wako Kungo, as potencialidades agro-pecuárias e industrial da Cela, numa feira promovida pelos produtores locais, no quadro da jornada comemorativa dos 40 anos da elevação de Wako Kungo à categoria de cidade, ontem assinalado.
No máximo da sua força, as empresas agro-industriais e pecuárias da região da Cela mostraram bons indicadores e já pensam em identificar os mercados solidários para evacuarem os seus produtos.
A feira patenteou os produtos das empresas do projecto Aldeia Nova, Sociedade de Estudo e Desenvolvimento Industrial Agrícola e Comercial – SARL (SEDIAC) e a unidade de produção Agro-Wako.
Dados fornecidos pelos responsáveis do projecto Aldeia Nova apontam que durante o ano passado foram produzidos 26 milhões de ovos, 1 milhão e 500 litros de leite e 65.7 toneladas de carne suína, para além de tubérculos e hortícolas.
Segundo o seu director-geral adjunto da SEDIAC, Ivo Carvalho, a empresa tem armazenadas 8 mil toneladas de cereais (milho, soja e feijão) e para suportar as colheitas da presente campanha agrícola vai instalar mais 3 silos que vão juntar aos cinco já existentes.
Ivo Carvalho fez saber que as previsões de colheita da campanha agrícola 2009/2010 apontam para 2.113 hectares semeados de milho, com uma média de produção de 4.9 toneladas por hectare, 589 hectares para a produção de soja numa estimativa de 2.24 toneladas por hectare, enquanto que para o segundo ciclo da referida campanha a produção vai rondar as cinco toneladas de feijão manteiga e igual quantidade de feijão carioca, 10 de feijão preto e 30 toneladas de trigo.
Os níveis de produção da SEDIAC apontam ainda para 150 toneladas de girassol, contando para tal com um parque de equipamentos apropriados.
Ivo Carvalho pediu também às autoridades da província e às estruturas centrais a encararem com seriedade a problemática inerente ao destino da produção nacional.
A Agro-Wako é outra empresa constituída em 2005, que explora uma área de 900 hectares e tem vocação para a produção de tubérculos e citrinos. A Agro-Wako pretende elevar a sua produção nos próximos tempos, ao mesmo tempo que pensa estabelecer parcerias para a comercialização dos seus produtos, dado que o mercado local não responde à oferta da empresa.
O Instituto Médio Agrário da Cela (IMA) apresentou os resultados produzidos até aqui, sobretudo nos aspectos de formação média, nas especialidades de produção animal, vegetal e de técnicos básicos em mecanização agrícola.
De acordo com o director-geral do IMA, engenheiro Luís Francisco, no final de 2010 a instituição vai lançar para o mercado de emprego mais de 100 finalistas dos cursos de produção animal, vegetal e mecanização agrícola, respondendo assim ao seu objecto social e à razão da sua implantação na região da Cela e não só.

Tempo

Multimédia