Províncias

Primeiras casas são entregues

Victor Pedro | Sumbe

As primeiras seis casas, das 90 concluídas, do Programa Nacional de Habitação de 200 fogos habitacionais para o município do Ebo, no Cuanza Sul, foram formalmente entregues ontem pelo governador provincial, Eusébio de Brito Teixeira, para minimizar a carência de habitação da população, sobretudo entre a juventude.

Governador provincial Eusébio de Brito Teixeira fez a entrega das primeiras residências
Fotografia: Victor Pedro | Sumbe

Depois da assinatura de entrega pela Cefek Construções, a empresa responsável pela empreitada, e a direcção do Urbanismo e Construção, o governador provincial fez a entrega simbólica das casas e, deste modo, deu-se início a um processo que vai ocorrer em todos os municípios do Cuanza Sul, onde estão a ser  desenvolvidos programas idênticos.
Eusébio de Brito Teixeira advertiu os responsáveis pela recepção dos processos de candidaturas às residências para serem rigorosos, relativamente às modalidades, obedecendo a algumas regras, como por exemplo,  ser funcionário público ou privado e obter salário bancarizado para se evitar constrangimentos por altura do pagamento.
Aos jovens beneficiários, Eusébio de Brito, pediu a conservação dos imóveis  para que no futuro “sirvam para os filhos” e  anunciou, para breve, a entrega de mais casas em três municípios.
Na primeira fase foram erguidas 90 casas, das 200 habitações previstas para o município do Ebo. As casas possuem três quartos, uma sala, cozinha, um quarto de banho e um espaço de 200 metros quadrados  para  os proprietários poderem construir outros compartimentos.
O responsável da Cefek Construções, Edgar Setas, explicou que as casas obedecem aos padrões da habitação social de média e baixa renda, facilitando ao cidadão o respectivo pagamento por via do seu ordenado.
Adelina Novas Pedro, uma  beneficiária, mostrou-se satisfeita por conseguir concretizar o “sonho da casa própria” e destacou o alcance do programa dos 200 fogos habitacionais criado pelo Executivo. “A casa própria é o sonho de qualquer jovem, por isso sinto-me realizada e espero ter saúde para honrar com as obrigações contratuais”, sublinhou. Entretanto, A chuva que se abateu sábado e domingo sobre a cidade do Sumb  inundou  por completo o Hospital Pediátrico, o que obrigou à transferência dos pacientes internados naquela unidade, disse ontem o supervisor da unidade sanitária.   João Lucamba  disse ao Jornal de Angola que foi possível evacuar  os 105 pacientes  para outras unidades, como no  Hospital Provincial 17 de Setembro, Maternidade do Cuanza Sul e para o Cntro de Saúde do bairro de Chingo.
João Lucamba  tranquilizou as famílias dos pacientes, pois não houve mortes a lamentar. No terreno, homens e máquinas trabalham na limpeza das valas.

Tempo

Multimédia