Províncias

Professores aperfeiçoam metodologias

Manuel Tomás | Sumbe

Cerca de 80 professores de escolas do ensino primário da província do Kwanza-Sul estão agora melhor preparados para aplicar as novas técnicas de ensino de matérias relacionadas com a Língua Portuguesa e Matemática.

Participantes concluíram que os conhecimentos adquiridos vão ser muito importantes para o seu bom desempenho profissional
Fotografia: Victor Pedro| Sumbe

Os professores terminaram um seminário do ensino primário, no âmbito das acções de formação contínua dos professores, em metodologias nas referidas disciplinas.
O seminário, orientado pelo coordenador provincial da bolsa de formadores, Inácio Buta Tito, teve por objectivo melhorar aspectos metodológicos e permitir aos participantes adquirirem conhecimentos de didáctica do ensino da Língua Portuguesa no ensino primário, a sua oralidade, leitura e escrita.
Foram ainda ministradas metodologias de ensino para cada nível e classe em Matemática, sua planificação e meios de ensino estruturados, além de ter sido abordada a importância da disciplina, formas de ensino das quatro operações fundamentais, entre outras.
O seminário abordou, ainda, a aprendizagem das expressões motoras, plásticas, musicais e comunicação visual.
Os participantes concluíram que os conhecimentos adquiridos vão servir de ferramenta nas suas actividades, na qualidade de professores e futuros formadores.
Os docentes recomendaram à direcção provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, a criação de condições nos municípios, para se multiplicarem os conhecimentos e abranger o maior número de professores, tal como mais acções formativas no próximo ano. Os professores pediram ainda que as escolas se apetrechem com meios que facilitem o ensino e aprendizagem das diversas disciplinas. O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia destacou a importância das acções de formação de professores, por contribuírem para melhorar o ensino das referidas disciplinas. Francisco de Figueiredo Júnior disse que a instituição tem programadas várias outras acções, em coordenação com as respectivas repartições municipais e a bolsa de formadores da província, no sentido de se conseguir a superação pedagógica dos docentes.
O ensino primário, realçou, voltado para a aquisição de competências e saberes, permite a inserção da criança na vida activa, o que constitui um alicerce do sistema educativo.
Boa parte dos investimentos em infra-estruturas escolares e no domínio da formação de quadros vão ser direccionados, prioritariamente, para o nível de ensino primário, acrescentou.

Intercâmbio académico

Um grupo de 80 estudantes universitários da Faculdade da Universidade Katyavala Bwila de Benguela terminou no domingo uma excursão de três dias à província do Kwanza-Sul, para troca de experiências com alunos locais.
Os estudantes de Benguela visitaram a cidade no âmbito de um intercâmbio com alunos do curso de Contabilidade e Gestão do Instituto Superior do Kwanza-Sul.
A excursão visou fomentar entre os estudantes a melhoria da criatividade, da capacidade para aplicação de conhecimentos adquiridos e de constatação das repercussões do crescimento económico na vida das populações.
Os estudantes de ambas as províncias recomendaram a necessidade da preservação e valorização dos locais turísticos do Kwanza-Sul.Durante os três dias, os visitantes foram recebidos pelo vice-governador para a esfera Económica, Mateus Alves de Brito, que abordou questões relacionadas com as potencialidades da província para o desenvolvimento socioeconómico da região. Ao referir-se à área económica da província, salientou que ela é detentora de um enorme potencial nos sectores da agricultura, devido à fertilidade das terras e a uma rede hidrográfica aceitável, predominante no interior, onde as chuvas são abundantes. Aregião também é rica em matéria geológica mineral, por possuir diamantes, ouro, cobre, granito, água mineral, pedras semi-preciosas, entre outras potencialidades por explorar.
Sobre o sector das Pescas, referiu que ele não está suficientemente desenvolvido por falta de investimentos, mas salientou que a exploração da madeira e do turismo, com pontos de interesse como as gravuras rupestres e monumentos culturais, são outros aspectos que contribuem para o desenvolvimento da província.Mateus Alves de Brito disse que a produção do café constitui uma fonte de riqueza para a província, que possui a bacia leiteira da Cela (Waku Kungo) é uma das maiores do país. Antes de regressarem a Benguela, os excursionistas visitaram a fábrica de gesso e locais históricos .

Tempo

Multimédia