Províncias

Professores pedem facilidades de acesso

Carlos Bastos | Sumbe

Os participantes na terceira reunião ordinária do Sindicato de Professores (SINPROF), realizada no Sumbe, província do Kwanza-Sul, recomendaram o acesso dos agentes de educação e professores em serviço nas escolas de formação de professores e magistérios primários.

Professores durante uma acção formativa realizada recentemente na cidade do Sumbe
Fotografia: Víctor Pedro |Sumbe

Orientada pelo secretário provincial do SINPROF no Kwanza-Sul, Celestino Lutukuta, os participantes defenderam, igualmente, “que sejam incrementados critérios que facilitem o acesso dos agentes de educação e professores às escolas superiores pedagógica e aos Institutos Superiores Pedagógicos (ISCED)”.
O conselho provincial do SINPROF aconselhou a direcção provincial da Educação a envidar esforços junto do Governo e de outras instituições para a instalação de mais escolas e institutos médios de formação de professores nos municípios, e a oferta bolsas aos docentes.
Defenderam, de igual modo, que os currículos e os planos de estudo devem ser bem estruturados, por serem considerados pressupostos para um bom desempenho dos professores e da melhoria da qualidade de aprendizagem dos educandos.
Os membros do sindicato aconselham as entidades competentes a repensarem a mono docência nas 5ª e 6ª classes e congratularam-se com as acções em curso no âmbito do programa de merenda escolar e a construção e reabilitação de escolas, tendo em conta a sua localização geográfica, qualidade e duração das obras, tipo de mobiliário, material didáctico e outro equipamento a utilizar.
A atribuição, o mais breve possível, do subsídio de isolamento previsto na lei, destinado a beneficiar os docentes que encontram dificuldades de acomodação nas localidades do interior da província, onde leccionam, foi outra medida defendida.

Tempo

Multimédia