Províncias

Projecto "Esta é a tua Vez" lança no mercado dezenas de jovens que aprenderam um ofício

Victor Pedro | Sumbe

Jovens do município do Sumbe, província do Kwanza-sul, receberam esta terça-feira, diplomas depois de frequentar durante seis meses os cursos de pastelaria e corte e costura, inserido no primeiro ciclo de ensino de artes e ofícios.

Jovens do município do Sumbe, província do Kwanza-sul, receberam esta terça-feira, diplomas depois de frequentar durante seis meses os cursos de pastelaria e corte e costura, inserido no primeiro ciclo de ensino de artes e ofícios levado a cabo pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional.
 O primeiro ciclo de formação profissional de artes e ofícios matriculou nesta fase mais de 100 jovens e os formandos receberam aulas práticas nas oficinas móveis do projecto “Esta é a Tua Vez”. Segundo a chefe dos serviços províncias do Instituto Nacional do Emprego e Formação profissional, Mariana dos Santos, o encerramento do primeiro ciclo de formação profissional de artes e ofícios é um grande ganho para jovens, para a província e em particular para o município do Sumbe que tem duas unidades móveis para dar continuidades à formação.
Mariana dos Santos disse que durante o período de formação, os jovens tiveram uma taxa de aproveitamento na ordem de 84 por cento e acrescentou também que dos 84 jovens aprovados, nove formados em corte e costura tiveram emprego directo em empresas privadas. 
A responsável do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional no Sumbe apontou a importância da formação e aproveitou a ocasião para chamar atenção a juventude para não desistir dos objectivos preconizados pelo Executivo porque “ainda temos muitos caminhos para trilhar no sentido de todos darmos o melhor para a reconstrução do país”.
O sucesso do “Projecto Esta é a Tua Vez” deveu-se “aos esforços do Ministério do da Administração Pública Emprego e Segurança Social através do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional, Governo Provincial e o empenho dos quatros formadores e seus monitores”, disse Mariana dos Santos. 

Tempo

Multimédia