Províncias

Projectos das pescas com bons resultados

Víctor Pedro | Sumbe

Os projectos e programas dirigidos ao sector das Pescas na província do Cuanza Sul, previstos para o biénio 2016/2017, decorrem a bom ritmo e demonstram resultados satisfatórios, apesar da crise financeira decorrente da baixa do preço do barril do petróleo, que afectou o desenvolvimento socioeconómico do país, afirmou terça-feira, no Sumbe, a directora do Gabinete de Plano e Estudo Especial (GEPE) do Ministério das Pescas.

Isabel Cristóvão, que coordena a delegação do Ministério das Pescas e de técnicos do sector da economia que visita a província do Cuanza Sul, desde terça-feira, disse, no final do primeiro dia de visita, que gostou do que viu, relativamente aos projectos nas salineiras do Kicombo, aquicultura no Bezengulo e outros programas.
Para a directora do GEPE, a satisfação reside no facto de os programas terem começado já a dar bons resultados, sendo a comercialização do pescado através da aquicultura no projecto Terra do Futuro, nas Cachoeiras do Binga, um exemplo concreto que está a beneficiar a população da região.
Isabel Cristóvão disse que o objectivo da visita é dar cumprimento às acções do sector e  às orientações do Titular do poder Executivo, que apontam para a necessidade de os ministérios garantirem apoio institucional aos empresários nacionais e não só, para que os projectos em curso caminhem sem sobressaltos e dêem resultados desejados, no âmbito dos programas de combate à fome e à pobreza e de diversificação da economia.
A responsável, que reconheceu existir boa vontade do empresariado local, incentivou a classe a ser persistente e ousada nos riscos. Na lista das dificuldades, a directora do GEPE apontou a falta de mais incentivos e de apoio institucional por parte do sector, limitações financeiras dos empresários, exigência de garantias pelos agentes económicos, que, no seu entender, se prendem com a falta de informação e orientação por parte do ministério e do sector bancário, uma realidade que às vezes leva o empresário a desistir.
A delegação reuniu com responsáveis da direcção das Pescas, tendo recebido informações sobre o funcionamento e andamento de vários projectos, como das pescas industrial e artesanal, projecto de distribuição de embarcações por parte governo provincial, centro de sal e seca, microcrédito ligados ao financiamento e apoio às mulheres processadoras do pescado na comuna do Kicombo, pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Agenda preenchida

Ainda no primeiro dia de visita, o grupo técnico constatou o andamento das empresas ligadas ao ramo pesqueiro sedeadas no município do Sumbe, tal como o complexo de frio Brumila e Patrícia, que se dedicam à captura, congelação e comercialização de pescado, a salineira Gorfilda, na comuna do Kicombo, e os projectos ligados à aquicultura da Terra do Futuro, na comuna de Gangula e na localidade do Bezengulo.
Ontem, segundo o programa, a delegação do Ministério das Pescas visitou o município de Porto Amboim, onde depois de um breve encontro com o empresariado local ligado ao sector das Pescas, efectuou uma visita de constatação aos projectos das empresas e instituições pesqueiras, tais como a Peskwanza EP, Sogerem, Teresa e Viegas, Cassongue, Lda, Navalheira e às três salineiras daquela municipalidade.
Durante o primeiro semestre do corrente ano, um total de 1.618,7 toneladas de pescado foram capturadas pelo sector da pesca industrial, 5.431,8 pela pesca artesanal, enquanto nos projectos de aquicultura os números rondam as 73,8 toneladas e no sal 26,6, de acordo com a Direcção Provincial das Pescas, no Cuanza Sul.

Tempo

Multimédia