Províncias

Projectos de obras passam à fase de construção

Casimiro José | Sumbe*

O Fundo de Apoio Social (FAS) no Cuanza Sul vai intervir, em 2015, nos projectos ligados aos sectores da Educação, Saúde e saneamento básico, no quadro da sua estratégia junto das comunidades rurais, anunciou o director provincial.

Sede do Fundo de Apoio Social na província do Cuanza Sul que tem em carteira vários projectos dirigidos sobretudo para as áreas rurais
Fotografia: Casimiro José | Sumbe

Alexandre Luís Domingos disse que os projectos, a serem financiados pelo Executivo, pelo Banco Mundial e União europeia, vão ser executados nos municípios da Conda, Ebo, Quilenda, Porto Amboim e Amboim.
O director do Fundo de Apoio Social informou que a instituição está, no presente ano, a concluir uma carteira de 12 projectos sociais em execução nos municípios do Ebo, Quilenda, Amboim e Porto Amboim, avaliados em 263 milhões de kwanzas.
Dos projectos, constam a construção de seis escolas, com seis salas cada, três residências para professores, centro de formação, centro e posto de saúde.
A actual estratégia do Fundo de Apoio Social, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Local, explicou, tem como principal foco as comunidades rurais, tendo em conta as necessidades que se registam nestas áreas.
Fazendo  um balanço dos 20 anos da existência do Fundo de Apoio Social na província, Alexandre Luís Domingos disse que a instituição desenvolveu e financiou 454 projectos, 160 dos quais ligados ao sector da Educação, 48 na Saúde, 163 no domínio da água e saneamento, 44 no sector económico e produtivo, beneficiando um total de 19.856 famílias.
O director do Fundo de Apoio Social disse que a execução dos projectos só foi possível com a colaboração das administrações municipais e parceiros sociais nas comunidades. Garantiu que vai continuar a desenvolver acções com o mesmo dinamismo e sublinhou que a implantação de equipamentos sociais nas comunidades vai basear-se nos inquéritos rurais participativos, para que respondam às reais necessidades das comunidades. “Vamos desenvolver projectos na base dos inquéritos que vão envolver os líderes das comunidades, porque são eles que melhor conhecem as necessidades das populações”, disse. O Fundo de Apoio Social (FAS) foi criado pelo Governo de Angola em 28 de Outubro de 1994 e goza de personalidade jurídica, autonomia administrativa e financeira e é tutelado pelo Ministério da Administração do Território (MAT). Tem por objectivos desenvolver projectos que visam combater a pobreza  e potenciar economicamente as famílias.

Furos de água  no Seles

Pesquisas para posterior execução de furos estão a ser feitos nas zonas rurais do município do Seles , no quadro do Programa de Água para Todos , disse o administrador  municipal, João Nunes.
Na comunidades da Ponte Santo, Capalanca e Dango não foi encontradas água até uma profundidade de 100 metros. “projecto que vem beneficiar as comunidades, tendo em conta que no Dango, das seis  pesquisas feitas só num  furo  foi encontrada água”, afirmou. O ponto mais critico é a  Ponte Santo.
O Programa  Água para Todos para este ano, frisou o administrador do Seles, contempla a abertura de chafarizes, já em funcionamento, construção de lavandarias  e a reabilitação do sistema de água da Botera, na povoação da Catanda.
“ Estamos certos de que esta situação só vai minimizar as dificuldades se  a materialização do programa  da Direcção Nacional das Águas para a reconstrução do sistema  a partir do rio Cambongo for avante, beneficiando, desta forma,  30 mil habitantes”, disse João Nunes.

*Com Angop

Tempo

Multimédia