Províncias

Província precisa de sangue

Carlos Bastos | Sumbe

O Hospital Provincial do Kwanza-Sul 17 de Setembro, no Sumbe, continua a debater-se com problemas de falta de stock de sangue, lamentou ontem o director clínico daquela instituição sanitária.

Muitos pacientes acabam por falecer por falta de sangue no Hospital Provincial
Fotografia: Paulo Mulaza

Agostinho Cardoso salientou que o hospital se debate com esta situação pelo facto da instituição não possuir, até agora, dadores voluntários a nível da província, uma vez que a falta de sangue no hospital provincial tem sido suprida por dadores ocasionais, na sua maioria fiéis de igrejas sediadas na região. Apesar desta atitude humanista, nem sempre tem sido possível utilizar todo o sangue doado, uma vez que, após a realização de testes laboratoriais, parte do produto tem sido descartado por se considerar impróprio para a transfusão. Agostinho Cardoso declarou que, em situação de emergência e perante a carência de sangue no hospital, sobretudo em casos de cirurgia, os responsáveis da instituição recorrem a familiares dos pacientes e apelos aos dadores voluntários, através dos órgãos da difusão massiva.
Quando se registam casos de acidentes de viação, a carência de sangue é resolvida pelos conhecidos dos sinistrados. “Quando estes não existem, os pacientes acabam por morrer”, lamenta.
O director clínico apontou ainda a falta de sensibilidade por parte de muitas pessoas e de jovens, que resistem em ajudar as pessoas que necessitam de sangue, o que considerou uma atitude negativa.

Tempo

Multimédia